Cristão acusado de blasfêmia sai da prisão após dois anos

| 23/01/2007 - 00:00


A Corte Superior de Lahore ordenou, no dia 19, a libertação de Shahbaz Masih Kaka, um cristão deficiente mental sentenciado a 25 anos de prisão pela corte de Faisalabad, sob acusações de blasfêmia. O júri de Lahore considerou-o inocente e o libertou. Shahbaz Masih Kaka já tinha passado 18 meses na prisão.

O advogado de defesa Khalil Tahir disse que, "mesmo no primeiro julgamento, a defesa apresentou evidências demonstrando que Shabhbaz era inocente das acusações de blasfêmia, mas o juiz Shahid Rafiq se curvou às pressões de extremistas islâmicos e, no dia 25 de setembro de 2004, determinou uma longa pena".

Khalil Tahir chefia a Adal Trust, uma organização não-governamental cristã que fornece assistência legal aos que necessitam. Ele acrescentou que apresentou "boletins médicos mostrando que Shahbaz sofria de doença mental, mas isso foi simplesmente ignorado".

Shahbaz Masih foi preso em junho de 2004 por ter supostamente rasgado algumas páginas de um exemplar do Alcorão no jardim de infância de uma escola islâmica. O clérigo muçulmano, Qari Mohammed Rafiq, levou Shahbaz à polícia, onde testificou ter visto o cristão pisar nas páginas do livro sagrado em frente à escola infantil.

Shahbaz foi acusado sob a seção 295, A e B, do Código Penal, mais conhecida como lei de blasfêmia. A profanação das escrituras sagradas islâmicas é punida com a prisão perpétua. Entretanto, as acusações não receberam credibilidade.

"Agora, precisamos levar Shahbaz ao hospital. Assim que for tratado, ele poderá voltar para casa", finalizou o advogado.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE