Cristã acusada de blasfêmia sai da prisão

| 07/05/2007 - 00:00


A cristã Martha Bibi, acusada de blasfêmia, sem qualquer tipo de evidência, foi solta no dia 3 de maio, após pagamento de fiança. O juiz da Suprema Corte, Fazal-e-Miran, determinou sua libertação mediante pagamento de 100 mil rúpias (R$ 3.350).

Advogados da Aliança de Minorias Paquistanesas (APMA, sigla em inglês), que acompanham o caso, disseram que a mulher de 40 anos estava "fisicamente esgotada, mas alegre por sua resistência". Ela não parou de agradecer a Deus "pela justiça e triunfo".

Martha Bibi, que vivia na vila de Kot Nanak Singh, foi acusada no dia 22 de janeiro por fazer comentários depreciativos contra o Alcorão e por "manchar o nome santo do profeta Maomé". Ela foi acusada com base no artigo 295 C do Código Criminal paquistanês - a controversa lei de blasfêmia - que estipula penas severas (até pena de morte) para aqueles que ofenderem o profeta ou os textos sagrados do islã.

Na verdade, de acordo com testemunhas, as acusações foram feitas por empreiteiros muçulmanos que não queriam pagar pelo material de construção de Martha e de seu marido, que é pedreiro.

O presidente da APMA, Shahbaz Bhatti declarou ao AsiaNews: "Neste caso a ordem de soltura mostra mais uma vez que a lei de blasfêmia só serve para se adaptar a disputas pessoais, sempre em detrimento das minorias. É por isso que deve ser completamente abolida."


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE