Pastor pentecostal é detido por três dias em Belarus

Pastor Antoni Bokun, da Igreja Pentecostal João Batista recebeu uma sentença de três dias de prisão na noite de 4 de junho, por haver conduzido um culto sem a permissão do Estado em sua casa na manhã anterior.

Depois de ser detido durante o culto do dia 3 de junho, o pastor Antoni passou a noite detido na prisão local. Como as 24 horas que Antoni passou em detenção antes da sentença são consideradas parte dela, ele foi libertado na tarde do dia 6 de junho.

Dois policiais uniformizados - o major Alexandre Radyukevich e o capitão Yuri Kulinich - estavam presentes no começo do culto matinal de 3 de junho na igreja João Batista. Depois de ter interrompido a Santa Ceia, eles levaram o pastor Antoni à delegacia central de Minsk. O culto continuou sem o pastor.

Na delegacia, foi pedido que o pastor assinasse um protocolo admitindo que ele havia violado o Artigo 23, Parte 34 do Código de Violações Administrativas. Antoni escreveu que ele não havia violado a Constituição, e que ele considerava as Demonstrações e Leis Religiosas anticonstitucionais.

Essa sentença do dia 4 de junho foi dada exatamente uma semana depois de o pastor ter sido detido por uma noite e sentenciado a pagar uma multa de 290 dólares por ter realizado um culto semelhante no domingo anterior.

Deportação

Além dessa segunda detenção do pastor Antoni, um membro ativo de sua igreja, o polonês Jaroslaw Lukasik, será deportado em poucos dias. Uma sentença de 27 de maio contra ele descreve seu crime da seguinte maneira: Sendo um cidadão polonês,se engajou em atividade religiosa como pregador na Igreja Pentecostal João Batista sem a permissão do Comitê de Assuntos Religiosos e Étnicos, atrelado ao Conselho de Ministros da República de Belarus, e então violou as regulamentações que governam a presença de estrangeiros sem cidadania bielo-russa.

Também na tarde de 3 de junho, um canal de TV do Estado, o ONT, transmitiu em seu noticiário um alerta dobre os perigos das seitas neo-pentecostais - uma alusão à igreja João Batista e outras similares.

O pastor Antoni é a terceira pessoa a receber sentença de prisão por atividade religiosa na Belarus pós-soviética. Aparentemente, devido à elevada sensibilidade do Estado em relação a reuniões não autorizadas, durante as eleições de março de 2006, o pastor batista reformado Georgi Vyazovsky e o advogado de liberdade religiosa Sergei Shavtsov receberam sentenças de dez dias de prisão por organizarem eventos religiosos não autorizados. O bispo pentecostal Sergei Tsvor foi poupado de um destino similar por ter vencido o prazo legal de se abrir um processo contra ele.