Governo tenta restringir a impressão de livros cristãos

| 18/06/2007 - 00:00


Há uma nova ofensiva contra os cristãos de Mianmar (Burma) depois que um editor de livros teológicos foi ameaçado com 12 anos de prisão, caso não desistisse imediatamente de publicar esse tipo de material.

Fontes locais afirmam que o regime militar começou a preparar uma lista com nomes de cristãos conhecidos para promover invasões individuais à casa de pastores e de suas famílias.

A lista, segundo as fontes, seria uma espécie de pronunciamento oficial do governo, que estaria tentando dizer: ser um birmanês é ser budista.

A perseguição aos cristãos de Mianmar não é novidade. Muitas missões cristãs foram expulsas do país em 1966 e desde então necessitam de uma autorização por escrito para operar. Além disso, não podem reunir mais de cinco pessoas.

Por causa disso, muitos cristãos se reúnem secretamente em suas casas.

Censura

A importação de Bíblias em birmanês é limitada a 2000 exemplares por ano. Atualmente as editoras têm sido alertadas a interromperem as impressões de qualquer tipo de livro cristão.

Uma autoridade de Miamar indicou que o governo estuda promulgar uma ordem para restringir todos os títulos religiosos no país.

Fontes locais disseram que isso pode acontecer por causa da demanda dos cristãos birmaneses. No passado as Bíblias eram queimadas, o que ainda pode vir a se repetir.

Eles tentaram me impedir de publicar livros cristãos. Em uma carta, disseram que se eu publicasse mais alguma coisa eu seria sentenciado a 12 anos de prisão, conta o editor de livros cristãos.

Apesar disso, vou continuar até onde puder. Não tenho medo de ser condenado ou de qualquer ação que eles possam promover. Acredito que Deus estará me cuidando , disse o editor.

Leia a íntegra da matéria, em inglês, no Religious Intelligence


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE