Cristão é condenado à execução pública

| 17/07/2007 - 00:00


Son Jong-nam, ex-oficial do Exército de Pyongyang, convertido ao cristianismo, está prestes a ser executado publicamente, de acordo com um apelo feito por membros da Organização das Nações Unidas (ONU) ao governo norte-americano.

Um grupo formado por senadores dos Estados Unidos, tanto democratas quanto republicanos, escreveu ao secretário-geral da ONU, o sul-coreano Ban Ki Moon, e ao Departamento de Estado norte-americano para interceder pela vida do cristão da Coréia do Norte, perseguido por causa de sua fé.

Son Jong-nam foi desertado na China em 1998 e se tornou cristão depois de um encontro com um missionário sul-coreano. Ele foi preso em 2001 e devolvido à Coréia do Norte.

Passou três anos na prisão e ganhou liberdade condicional em 2004. Fugiu e depois de um encontro com seu irmão, passou a morar na Coréia do Sul. Agora ele foi repatriado e condenado à morte.

A execução, confirmada pelas autoridades do Norte, será feita em público. Esta é a forma freqüentemente usada pelos stalinistas do regime liderado por Kim Jong-il, para persuadir a população a “não violar as leis”.

Na carta, os senadores explicam à ONU e ao governo norte-americano que “um engajamento futuro com a Coréia do Norte será mais do que um desafio, se os líderes continuarem a perseguir as pessoas por causa da religião”.

E dizem que “os Estados Unidos possuem uma liberdade religiosa e política, elementos importantes em suas relações diplomáticas, o que traz graves preocupações diante dessa iminente execução”.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE