Oficial do governo tenta fechar acampamento de férias

 Um funcionário de Departamento de Ideologia de Volozhin tentou interromper o acampamento de uma igreja carismática da região de Minsk, durante um feriado. Procurado pelo Forum 18 para explicar o caso, Oleg Bobrik se recusou a comentar o assunto.

No dia 10 de julho, Oleg Bobrik chegou ao acampamento de feriado anual promovido pela igreja carismática de Jesus Cristo, com sede em Minsk. Ele exigiu o término de toda a atividade religiosa e da distribuição de literatura religiosa, segundo o advogado e membro da igreja, Dina Shavtsova.

Reivindicando que o acampamento não estava de acordo com a restritiva Lei de Religiões de 2002, e nem mesmo com a instrução do Ministério de Educação que regula acampamentos, o funcionário de ideologia emitiu uma ordem escrita à mão, em caneta esferográfica e papel claro, em que exigiu o encerramento do evento.

A ordem, assinada por Oleg Bobrik e vista pelo Forum 18, decretava que o acampamento só poderia retomar as suas atividades depois da resolução de vários pontos. Entre as exigências estava a apresentação de uma lista com os nomes de todos os participantes, inclusive as crianças, e um recibo de permissão oficial do Departamento de Minsk para Assuntos Religiosos e Étnicos.

"Ninguém está preparado para entregar a lista de participantes, isso é ilegal", contou Dina Shavtsova ao Forum 18. "Nós continuaremos o acampamento que foi planejado nos últimos seis meses, uma vez que já o realizamos anualmente há 11 anos", disse. Segundo ele, a instrução manuscrita do funcionário não tem nenhuma força legal.

O acampamento anual da igreja de Jesus Cristo, com cerca de 200 participantes, acontece em um bosque perto da aldeia de Rakov, a uma distância em torno de 20 Km, a noroeste de Minsk.

Organizado durante um feriado de verão para os membros da igreja, o Forum 18 esteve no local em julho de 2006. Na ocasião, não houve qualquer interrupção por parte do Estado.

Segundo Dina Shavtsova, vários exames rotineiros realizados pelo serviço de saúde pública local e departamentos de emergências foram efetuados para que o acampamento começasse no dia 30 de junho.

A inspeção resultou em uma multa pequena de 62,000 rublos (R$ 60). Então, no dia 7 de julho, Oleg Bobrik administrou um exame adicional no acampamento, citando uma nova instrução recebida pelo distrito local.

No dia 10 de julho, apesar de ter prometido entregar uma ordem oficial no dia seguinte, em substituição à ordem manuscrita, Oleg não o fez. O acampamento terminou como planejado no dia 15 de julho.

Permissão de funcionamento

O distrito de Volozhin concedeu permissão oficial para o acampamento da igreja durante o feriado de verão no dia 2 de abril, em um documento acompanhado pelo Forum 18. O pastor da igreja, Boris Chernoglaz, enviou uma cópia deste documento aos altos oficiais da região de Minsk e ao funcionário de assuntos religiosos, Leonid Parkhimovich, na tarde de 11 de julho.

O pastor Chernoglaz visitou o responsável local por Assuntos Religiosos, Vladimir Lameko. E recebeu como resposta: “Isso não tem nada a ver conosco”.

Vladimir se recusou a informar ao Forum 18 se a ordem de fechar o acampamento foi dada por ele ou se o evento tinha acontecido legalmente. Ele insistiu que não responderia a perguntas da mídia pelo telefone.

O distrito de Volozhin é particularmente diligente no controle de atividades religiosas. Os cristãos que fazem campanha para mudar a restritiva Lei de Religiões do país foram detidos.

Controle das atividades

Anatoli Kulak, que preside a comissão do comitê executivo para controlar as atividades religiosas, emitiu uma circular aos líderes de comitês locais solicitando a informação sobre o número de sócios em cada organização religiosa, os nomes completos de professores de cada escola dominical, o número dos alunos e o horário deles.

A extensa burocracia para assuntos religiosos em Belarus continua desde a era soviética. Isso inclui comissões que asseguram o cumprimento da Lei de Religiões, vinculadas a um comitê executivo. Porém, os esforços de algumas destas comissões para controlar a vida religiosa são negligentes.

Soldados expulsaram várias famílias de igrejas carismáticas de Minsk para a capital, depois de uma intervenção semelhante a um acampamento do distrito de Smorgon (região de Grodno) em 2006.