Talibãs executam refém sul-coreano

| 30/07/2007 - 00:00


Os talibãs anunciaram nesta segunda-feira a execução a tiros de um dos 22 sul-coreanos evangélicos seqüestrados no Afeganistão desde o dia 19 de julho. Trata-se do segundo refém executado (leia mais) desde que membros da Comunidade de Saemmul, foram capturados pelos extremistas.

"Demos vários ultimatos que acabaram sendo ignorados pelo governo afegão", disse o porta-voz do Talibã Yusuf Ahmadi à France Presse. "Esta noite, às 20h30 (4h30 horário de Brasília) matamos o coreano Sung Sin com disparos de fuzil AK-47", acrescentou.

Anteriormente, o governador da Província de Ghazni, Marajudin Pathan, havia afirmado que os talibãs concordaram em estender o prazo para permitir mais tempo para as negociações até quarta-feira (dia 1).

Olho por olho

O presidente afegão, Hamid Karzai, apelou para as tradições de hospitalidade e cavalheirismo do país para pedir a libertação das 18 mulheres do grupo de reféns, mas não obteve sucesso.

Em seus primeiros comentários sobre o seqüestro, Karzai criticou o Talibã por levar "hóspedes estrangeiros", especialmente mulheres, o que seria contrário aos princípios do islã. "A prática deste ato hediondo em nosso solo é uma subversão total de nossos valores islâmicos e afegãos", disse.

O porta-voz do Talibã, no entanto, invocou o princípio de "olho por olho", afirmando que militares do Ocidente mantêm mulheres afegãs presas em bases em Bagram e Candahar, e que por isso o grupo pode fazer o mesmo.

O Talibã pede a libertação de 23 prisioneiros do grupo em prisões afegãs em troca da soltura dos reféns e afirma que eles serão mortos caso o governo em Cabul não atenda à exigência.

Segundo a rede de TV americana “CNN”, o governo afegão rejeitou a possibilidade de libertar guerrilheiros talibãs em troca dos reféns.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE