Missões vítimas de vandalismo

| 08/08/2007 - 00:00


As missões cristãs da Guiné-Bissau vão ter proteção especial da polícia para combater atos de vandalismo e de agressão dos quais têm sido vítimas nos últimos tempos, anunciou o ministro do Interior Baciro Dabó.

Ele deu estas indicações aos jornalistas no final de uma audiência que manteve com o bispo de Bissau, D. José Camnaté Bissgn, que lhe transmitiu a preocupação da Igreja com o clima de violência no país. O prelado revelou também ao governante que a Igreja está inquieta com os níveis de vandalismo e do tráfico de drogas.

D. José Camnaté caracterizou estas situações como "males que afligem a sociedade e a Igreja" guineana e, portanto, frisou "situações que devem merecer a preocupação" de todos.

"Ouvi as preocupações do bispo de Bissau, mas a polícia promete uma proteção especial para as missões, sobretudo, as que se encontram em lugares distantes no interior do país", declarou Baciro Dabó.

Relatos confirmados por várias missões católicas indicam a ocorrência de agressões, roubo e atos de vandalismo nestas instituições, devido à falta de presença da polícia.

O ministro da Administração Interna afirmou que estas situações não podem continuar devido ao trabalho que a Igreja desenvolve com as populações guineanas.

Baciro Dabó caracterizou a "visita de cortesia" de José Camnaté ao Ministério do Interior como sendo "um sinal importantíssimo" para o trabalho que tem sido desenvolvido.

O bispo de Bissau considerou, por seu lado, que o nível de insegurança e de violência no país "é deveras preocupante" pelo que é chegado a hora das autoridades tomarem medidas.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco