Crianças não são poupadas ao cruzarem a fronteira

| 30/11/2007 - 00:00


O norte-coreano Jong-Cheol (esse não é seu nome verdadeiro) cresceu sem seu pai, que morreu jovem. Quando era pequeno, a avó lhe contava histórias bíblicas. Como muitas crianças que vivem na Coréia do Norte, assolada pela fome, depois de certa idade, ele começou a perambular pelo país à procura de comida até que um dia cruzou a fronteira com a China.

Na China, o menino foi recolhido por um missionário chinês. Foi ali que ele conheceu Jesus e o aceitou como seu salvador pessoal. Naquele momento entendeu que sua mãe e sua avó também eram cristãs. 

Certo dia, Jong-Cheol foi capturado com outras crianças. A polícia chinesa os prendeu e eles foram deportados para a Coréia do Norte, fato que ocorre com milhares de crianças e adultos todos os anos (e que é o motivo do protesto internacional).

De volta à Coréia do Norte, as crianças eram interrogadas diariamente, às vezes com uso de violência. Uma das crianças não resistiu e contou que Jong-Cheol era cristão. O menino foi executado por recusar-se a negar Jesus.

Protesto Internacional

Como resposta ao tratamento que os refugiados norte-coreanos recebem na China, a Coligalição de Liberdade da Coréia do Norte – a qual a Portas Abertas faz parte – planeja um "Protesto Internacional Contra o Tratamento Violento Dispensado aos Refugiados Norte-Coreanos na China". 

Entre hoje e amanhã, dia 1º de dezembro, manifestações, entrega de petições e vigílias de oração serão feitas em frente aos consulados e embaixadas chinesas em cidades ao redor do mundo. No Brasil a mobilização ocorre no sábado das 9h30 ao meio-dia em frente à Embaixada e representações diplomáticas da China.

"As manifestações são uma forma de pressionar o governo chinês a cumprir suas obrigações segundo o Protocolo de 1967, Relativo ao Estatuto dos Refugiados, da ONU", declara Lindsay Vessey, coordenadora da área de ativismo da missão Portas Abertas nos Estados Unidos.

"De acordo com essa convenção, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) deveria ter acesso aos refugiados norte-coreanos que se encontram na China – estima-se que existam entre 100.000 a 300.000 – e poder protegê-los e ajudá-los a encontrar asilo em outros países como os EUA e a Coréia do Sul".

Porém, a China manda os refugiados de volta à Coréia do Norte, onde eles enfrentam uma punição terrível; morte, como foi o caso de Jong-Cheol ou prisão por um longo período de tempo.

"O governo chinês precisa saber que os cristãos ao redor do mundo estão a par e se importam com essa flagrante violação dos direitos humanos e que estaremos comprometidos em continuar orando e ajudando os refugiados, muitos dos quais cristãos", explica ela.

Não esqueça, o protesto no Brasil começa às 9h30 deste sábado e termina ao meio-dia nas representações diplomáticas chinesas de duas cidades:

Rio de Janeiro
Consulado Geral da República Popular da China
Fax (0--21) 2551-5736
E-mail: chinaconsul_rj_br@mfa.gov.cn
Rua Muniz Barreto, 715, Botafogo,
Rio de Janeiro - RJ

São Paulo
Consulado Geral da República Popular da China
Fax (0--11) 3062-4396
E-mail: consuladodachina@terra.com.br
Rua Estados Unidos, 1071, Jardim América,
São Paulo - SP

As pessoas que moram em outras cidades podem participar enviando um fax ou e-mail para:

Brasília - Embaixada da República Popular da China
Fax: (0--61) 346-3299
E-mail: chinaemb_br@mfa.gov.cn

Por favor, para que possamos quantificar o número de protestos, envie uma cópia da sua manifestação escrita para o email: mobilizacaocoreiadonorte@gmail.com

A Coligação de Liberdade da Coréia do Norte reúne organizações não governamentais, de direitos humanos e religiosas americanas e coreanas, cujo principal objetivo é levar liberdade ao povo da Coréia do Norte e assegurar que os direitos humanos e a política mundial com relação à Coréia do Norte recebam atenção prioritária. Para conhecer o site (em inglês) da coligação, clique: http://www.nkfreedom.org

Saiba mais sobre a situação deste país lendo o livro "Fuga da Coréia do Norte", de Paul Estabrooks, que acaba de ser lançado pela Portas Abertas.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE