Extremistas matam por engano irmão de Younis Tasadaq

| 25/01/2008 - 00:00


Extremistas islâmicos mataram um homem depois de confundi-lo com seu irmão que é acusado de blasfemar contra o islã por ter se convertido. Segundo a organização de direitos humanos Preocupação Cristã Internacional (ICC, sigla em inglês), Simon Emmanuel foi morto a tiros no último dia 9 de janeiro. Ele era irmão de Younis Tasadaq, que foi preso em 1998 sob a acusação de ter blasfemado contra o islã.

De acordo com a lei paquistanesa, a blasfêmia deve ser punida com a morte. Mas por causa da pressão internacional feita por organizações de direitos humanos, Younis Tasadaq foi solto e pode se refugiar nos Estados Unidos em 1999.

No final do ano passado, ele decidiu visitar a mãe doente no Paquistão. Foi quando os extremistas resolveram aproveitar a oportunidade para se vingar. Na noite de 9 de janeiro um grupo de extremistas islâmicos chegou na casa da mãe dele e atirou em seu irmão mais velho, achando que era Younis Tasadaq.

A polícia paquistanesa tentou acobertar o caso dizendo que o rapaz havia se suicidado e não registrou queixa contra os assassinos. A família de Simon Emmanuel, no entanto, entrou em contato com a ICC e pediu para que a organização interferisse.

A ICC levou a denúncia até a polícia de Toba Tek Singh e a pressionou a registrar queixa contra os responsáveis pela morte de Simon. A cidade de Toba Tek Singh fica no distrito de Gojra, região predominantemente muçulmana.

Em 22 de maio de 2004 um jovem cristão foi torturado até a morte por extremistas islâmicos na cidade. Muitos cristãos que moram na cidade foram falsamente acusados de blasfêmia, ameaçados de morte e presos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE