Jornais republicam polêmica charge do profeta Maomé

| 14/02/2008 - 00:00


Onze jornais dinamarqueses republicaram ontem a polêmica charge do profeta Maomé feita por Kurt Westergaard, ameaçado por um atentado desbaratado na última terça-feira pela polícia, como uma forma de defesa da liberdade de expressão.

Entre os jornais está o conservador "Berlingske Tidende”, que decidiu publicar a charge na qual se vê Maomé com uma bomba no turbante, para expressar, assim como os demais jornais, o repúdio à autocensura, depois das ameaças de morte contra o veterano chargista.

"A liberdade de expressão dá o direito a pensar, a falar, a desenhar o que você quer (...) e os planos terroristas não mudarão nada", afirmou o jornal no editorial.

A polícia prendeu na terça-feira um dinamarquês de origem marroquina e dois tunisianos que supostamente planejavam assassinar Westergaard, autor da charge que integrava uma série de 12 desenhos satíricos de Maomé publicados em 30 de setembro de 2005 no jornal “Jyllands-Posten”.

Onda de violência

A publicação das charges provocou, entre janeiro e fevereiro de 2006, uma onda de violentos protestos contra a Dinamarca no mundo muçulmano.

Outros 50 jornais publicaram a caricatura e protestos violentos se seguiram pela Europa, Oriente Médio e outras partes do mundo, causando a morte de pelo menos 50 pessoas, entre elas, muitos cristãos.

A onda de protestos que seguiu a publicação das charges atingiu o ponto mais crítico quando as embaixadas da Dinamarca em Beirute e Damasco foram incendiadas e os protestos causaram mortes na Nigéria, Líbia e Paquistão.

Ore pelos cristãos que vivem em países muçulmanos. Muitos de nossos irmãos foram açoitados, presos e mortos em 2005 e 2006 por causa das charges, apesar de não terem qualquer relação com elas. 


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE