Igreja recebe livramento durante onda de violência no Chade

Os cidadãos do Chade estão enfrentando um pesadelo desde a violência ocorrida nos dias 25 de janeiro e 4 de fevereiro 2008. O presidente Idriss Deby Itno foi sitiado por rebeldes na sede da presidência, como parte de um conflito que, segundo especialistas, foi motivado pelo desejo de controlar os recursos petroleiros do país e mergulhou o país numa situação similar à guerra civil.

Embora a produção nacional de petróleo seja limitada, ela ainda representa um verdadeiro tesouro para o Chade, uma das nações mais pobres da África. A Portas Abertas está acompanhando a situação dos refugiados em Kousseri, uma cidade na divisa com Camarões para onde muitos cristãos fugiram em busca de proteção e abrigo por conta da instabilidade política.

O pastor René Daidanso, que vive em Ndjamena, testemunha : "A situação crítica que há pouco aconteceu em meu país me fez progredir na leitura da Palavra de Deus e em oração. Deus me mostrou que eu não devo deixar a cidade de Ndjamena.” 
 
“Enquanto a comunicação foi cortada com o mundo externo, Deus executou um milagre permitindo que nos comunicássemos com vários pastores colegas meus de Camarões. Tudo isso apesar dos intensos bombardeios. Nenhuma bala nos atingiu”, disse o pastor.

De acordo com o pastor Daidanso, a emissora de televisão e rádio chadiana foi incendiada e ficou completamente em ruínas por causa dos bombardeios. Mas a Igreja Boas Novas, que pertence à Assembléia Cristã do Chade e que fica bem próxima da emissora, foi salva pela poderosa mão de Deus.
 
Livramento

A Igreja Evangélica do Chade, uma igreja com mais de 1500 membros e cujo o pastor é Bako Celestin, também foi poupada do bombardeio. O mercado de Ndjamena ficou largamente destruído embora fique a aproximadamente 100 metros da igreja. Aparentemente, os cristãos não sofreram maiores dificuldades.
 
Uma fonte segura da Igreja Evangélica do Chade, disse: "Muitos cristãos foram protegidos durante a onda de violência. Nós damos graças a Deus pela presença do Espírito Santo que advertiu os cristãos para evacuarem suas famílias para aldeias ao redor de Ndjamena".
   
Por causa dos eventos violentos no Chade, os refugiados chadianos foram para Kousseri, que fica na divisa de Camarões e está do outro lado do rio de Ndjamena. Os refugiados refletem uma população composta por cristãos, pagãos, muçulmanos e outros.

O pastor Hadama Christopher, cuja igreja em Kousseri pertence à União de Igrejas Evangélicas de Camarões, confirma que ele ficou preocupado com a falta de água e comida, e com o aumento repentino dos preços – uma situação comum em tempos de guerra.

Agora a tranqüilidade voltou à capital de Ndjamena e os chadenses estão aos poucos voltando à vida normal. O número de refugiados diminuiu consideravelmente e muitos resistem a deixar o país. 

O pastor Mahamat Ali Djimé, nosso colaborador no Chade, esteve em Yaoundé, a capital dos Camarões, para uma reunião regional da Portas Abertas sobre os eventos em Ndjamena. A guerra começou quando ele estava fora e durante muito tempo ele passou sem notícias da família.

Pontos de Oração: 

- Ore para que os cristãos do Chade sejam ajudados em todas as circunstâncias e gratos pelos livramentos recebidos

- Interceda pelas autoridades chadianas e pelos grupos armados, para Deus tocar os corações deles em favor da paz 

- Rebeldes armados que vêm do Sudão (Darfur) espalharam terror em nome do islã no Chade oriental. Mais de 250 mil refugiados de Darfur moram lá em acampamentos. Peça por uma solução para este conflito e para paz.