Atentado suicida atinge igreja e escola em Lahore

Dois homens bomba que se explodiram ontem em Lahore, no Paquistão, mataram pelo menos 31 pessoas e fizeram cerca de 200 feridos. A ação de um deles atingiu uma igreja, um convento e uma escola cristã.

Quatro membros da Caritas ficaram feridos e dois morreram. O clima de instabilidade e insegurança na região é enorme, desde o atentado que matou a ex-primeira ministra do Paquistão, Benazir Bhutto, em dezembro.

A diretora da Caritas do Paquistão, Anila Gull, condenou o atentado que provocou "a morte indiscriminada de tantas pessoas e feriu muitas outras".

Marionetes

Segundo ela, os cristãos têm sido perseguidos e discriminados, porque são vistos como "marionetes do Ocidente". No texto distribuído a órgãos internacionais, a Caritas do Paquistão fez ainda um apelo em favor do fim da violência no país.

O presidente da Caritas Internacional, cardeal Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga, arcebispo de Tegucigalpa, em Honduras, enviou uma mensagem de solidariedade para a Caritas e a Igreja no Paquistão, expressando seu pesar pelo atentado e afirmando que o derramamento de sangue tenta desestabilizar esse país asiático.