Secretária justifica retirada da China de lista negra

| 14/03/2008 - 00:00


A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, justificou a retirada da China da lista americana dos piores violadores dos direitos humanos, alegando a retomada do diálogo sino-americano sobre esta questão.

"O único objetivo era evidenciar a diferença que existe entre a China e outros países muito mais fechados, como Mianmar", acrescentou, referindo-se ao relatório anual do departamento de Estado, que já não inclui mais a China entre os "piores", a alguns meses dos Jogos Olímpicos de Beijing ( leia mais).

"Acabamos de obter da China a reabertura do diálogo sobre os direitos humanos, que estava paralisado há muito tempo", declarou Condoleezza Rice à imprensa.

"O relatório sobre a China é severo sobre os problemas dos direitos humanos neste país", prosseguiu.

Em seu relatório anual sobre os direitos humanos, Washington citou este ano dez países onde o poder ficou em 2007 "concentrado nas mãos de dirigentes que não tiveram que prestar contas a ninguém": Coréia do Norte, Mianmar, Irã, Síria, Zimbábue, Cuba, Belarus, "Uzbequistão, Eritréia e Sudão.

A China, que integrava esta lista em 2005 e 2006, foi classificada este ano em uma nova categoria, a dos "países autoritários em plena reforma econômica que viveram mudanças sociais rápidas, mas que não empreenderam reformas políticas e seguem negando a seus cidadãos os direitos humanos e as liberdades fundamentais básicas".

Várias organizações de defesa dos direitos humanos protestaram contra a retirada da China do relatório.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco