Irmão André visita a viúva de Rami Ayyad e a pequena Sama

| 01/04/2008 - 00:00


Durante a recente viagem do fundador da Portas Abertas, o Irmão André, à Gaza, ele se encontrou com a viúva de Rami Khader Ayyad, gerente da livraria da Sociedade Bíblica em Gaza, e trouxe informações acerca do bebê que ela esperava quando o marido foi morto.

Desde o atentado que culminou com a morte de Rami, sete famílias ligadas à distribuição de literatura cristã foram temporariamente levadas para Belém. Pauline Ayyad, então grávida de Rami, esteve entre as pessoas que mudaram para a Cisjordânia.

Mas ela e seus dois filhos, George e Wissam, voltaram para Gaza na primeira semana de janeiro deste ano. Ela queria ter o bebê em casa, ao lado dos pais.

Nascimento do bebê

Ela, que perdera o marido aos cinco meses de gestação, teve uma linda e saudável menina no dia 4 de fevereiro, a quem deu o nome de "Sama", que significa "céu" porque o pai dela está no céu.

E foi assim, com pouco mais de um mês de vida, que o Irmão André teve a oportunidade de visitar a família e carregar no colo a pequena Sama. 

Pouco depois do retorno de Pauline para casa, a situação em Gaza piorou drasticamente e trouxe muita preocupação, principalmente porque em algumas ocasiões falta luz, água e medicamentos nos hospitais. "Mas Deus foi fiel em todos os momentos", disse ela.

Memória

Durante a visita em Gaza, o fundador da Portas Abertas fez questão de deixar uma lembrança de apoio da Igreja Livre em reconhecimento ao sofrimento da família por causa da fé em Cristo.

"É importante, principalmente para os dois meninos e a pequena Sama, saberem, quando crescerem, por que o pai deles foi morto e que esse terrível assassinato não passou despercebido, o pai deles é um mártir da fé", disse o Irmão André ( leia mais sobre a viagem dele à Gaza), ao entregar uma placa em memória à Rami.

Apesar de ter prometido capturar os assassinos de Rami, nenhuma declaração com resultados positivos foi dada pelo Hamas. Existem rumores e pistas. O partido acredita que os responsáveis pelo ataque ao prédio da Associação Cristã de Moços (ACM) são os assassinos de Rami.

O Hamas não pôde garantir a segurança dos cristãos na Faixa de Gaza depois que Rami Ayyad foi morto e parece que, cada vez mais, são ineficazes suas tentativas de proteger os cristãos e as organizações cristãs.

Pedidos de Oração:

- Por favor, ore por Pauline e por sua família e amigos. Ore para que eles tenham paciência e sejam perseverantes mesmo durante as circunstâncias difíceis. E ore pela pequena Sama também.

- Ore pela pequena comunidade cristã em Gaza, independente de eles serem católicos, batistas, ou de qualquer outra denominação. Ore para que a presença cristã na região não desapareça.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE