Autoridades egípcias pretendem deportar refugiados eritreus

| 06/06/2008 - 00:00


Autoridades egípcias estão prestes a dar início a deportações forçadas de cerca de 150 prisioneiros eritreus detidos na prisão de Kanater, no Cairo. Segundo informações recebidas pela ONG cristã Christian Solidarity Worldwide (CSW), os detentos originalmente teriam deixado a Eritréia rumo ao Egito por motivos de perseguição política e religiosa. Estima-se que existam mais de 1000 cidadãos eritreus mantidos em prisões egípcias.

De acordo com a CSW, a esses detentos lhes foi negado o acesso ao escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados  (ACNUR) no Egito, apesar de ser essa a prática normal e recomendada para o tratamento de refugiados que estão em outros países.

As deportações deles aconteceriam apesar de  o ACNUR  não recomendar o retorno de refugiados eritreus para a Eritréia. "Se deportados, esses prisioneiros devem enfrentar prisão imediata e possível tortura", destaca a CSW.

Em um comunicado distribuído à imprensa , a CSW diz: "Alguns podem enfrentar execução imediata porque são ex-militares (desertores) que fugiram da Eritréia em serviço."

Exemplos de outros refugiados

A ONG ainda acrescenta: “Organizações de defesa dos direitos humanos baseadas em Londres, como a Anistia Internacional e a Preocupação com os Direitos Humanos da Eritréia, informaram que os deportados de Malta, em 2002, enfrentaram prisão, tortura e execuções extra-judiciais. Refugiados eritreus recentemente deportados da Suécia e da Alemanha desapareceram nos labirintos dos centros de detenção de Eritréia, com conseqüências semelhantes."

O reverendo Stuart Windsor, diretor nacional da CSW, disse: "É vital que as autoridades egípcias respeitem os tratados internacionais para os quais o Egito é signatário, permitindo que esses refugiados tenham acesso ao ACNUR."

 "Se os relatos de deportações forçadas iminentes se provarem corretos, então também pedimos com urgência que o governo egípcio reconsidere essa política, uma vez que essas pessoas certamente enfrentarão prisão cruel e tortura", complementou Stuart Windsor. 

A CSW é uma organização cristã de direitos humanos especializada na defesa da liberdade religiosa e que trabalha com perseguidos por causa de sua fé cristã.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE