Cinco agentes humanitários são seqüestrados

| 16/09/2008 - 00:00


Hoje, cinco funcionários de organizações não- governamentais (ONG) foram raptados em Basilan, uma província localizada na Região Autônoma no Mindanao.

Dos cinco, três foram libertados.

O veículo das vítimas foi parado por dez homens armados, por volta das 11h45, na vila de Kabangalan, cidade de Tipo-Tipo.  As vítimas foram identificadas como Esperancita Hupida, Ludy Borja Dekit, Millete Mendoza, Dionísio Estandante e Romeo de los Reyes.

Um representante da Marinha disse que Ludy, Dionísio e Romeo foram entregues ao prefeito de Tipo-Tipo, Tong Istarul, sem que nenhum resgate fosse cobrado. O Tenente-Coronel Edgard Arevalo acrescentou que os três estavam acompanhados de mais sete pessoas, que conseguiram fugir dos seqüestradores.

Os seqüestradores foram identificados como sendo parte do grupo terrorista islâmico Abu Sayyaf, ligado a Al Qaeda. As operações de busca e negociação em prol de Esperancita e Millete estão em curso.

Apelo por negociação

Esperancita é diretora de programa da Fundação Nagdilaab Ltda., uma ONG que oferece assistência à saúde, assistência ambiental, micro-crédito e outros similares. A Fundação Nagdilaab trabalha em conjunto com líderes muçulmanos e moradores de áreas de conflito.

Martin Jumoad, bispo de Basilan, disse ao jornal local The Philippine Daily Inquirer que Esperancita estava a caminho de Tipo-Tipo para avaliar os projetos realizados lá.

Ludy Borja trabalha em um projeto da Christian Children’s Fund (CCF) de Maluso, Melhoramentos na Saúde Sustentável por meio da Promoção e Desenvolvimento Local. 

Millete é uma voluntária de uma ONG local, em Manila, que arrecada fundos para projetos de emergência e reabilitação na área. Ela trabalha para CCF também.

Dionísio é ex-diretor executivo de Tabang Mindanao, uma fundação radicada em Manila, que transformou 42 comunidades afetadas de Mindanao Central em comunidades de paz. Ele também trabalha para a CCF.

O presidente da Fundação Nagdilaab, Angel Calvo, disse que o grupo voltava de uma reunião realizada com a prefeitura de Tipo-Tipo. De volta à capital de Basilan, os dois veículos que ocupavam foram parados.

 Em uma declaração ao jornal Mindanews, Angel apela aos seqüestradores para “não ferirem de forma alguma as pessoas em poder deles” e para “abrir um canal de comunicação entre a Fundação Nagdilaab e as vítimas”. Da mesma forma, pediu para que “fossem libertadas imediatamente”, segundo o espírito do ramadã.

Constantemente na linha de fogo

Angel Calvo disse que as vítimas são “obreiros do desenvolvimento comunitário que têm servido as comunidades muçulmanas por muitos anos, com um espírito de solidariedade inter-religiosa e de assistência humanitária, em especial aos pobres da província de Basilan.”

Funcionários de ONGs, grupos religiosos e outras entidades são expostos continuamente a perigos devido às diferenças políticas e religiosas sempre em conflito.

Um líder ex-muçulmano da Portas Abertas, radicado em Mindanao, tem alertado as obreiras sobre ir a comunidades hostis, a fim de que evitem incidentes.

A Portas Abertas realiza um curso de alfabetização em Basilan, e o responsável pela atividade e sua esposa suspenderam o curso há dois meses, por causa das ameaças de um líder da comunidade.

Outro líder que esteve em uma região do grupo Abu Sayyaf disse que terroristas estão prontos para matar qualquer cristão que pisar em cidades e vilas conhecidas como território do grupo.

Pedidos de oração

• Peça pela segurança dos voluntários de ONGs, uma vez que eles ainda ministram e ajudam os moradores de Mindanao a ter uma vida melhor.
• Interceda por aqueles que trabalham em comunidades que já sofreram diferentes formas de opressão, violação e ameaças. Que eles perseverem em seu chamado.
• Ore pelo começo de diálogos de paz entre as comunidades.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE