Extremistas estupram filha de pastor para forçá-lo a renunciar a fé

| 12/06/2008 - 00:00


Um grupo de extremistas islâmicos raptou e estuprou uma garota de 13 anos, filha de um pastor local, do distrito de Mymensingh. O pastor Motilal Das, da Igreja Unida Betânia, disse que por volta das três horas da manhã do dia 2 de maio, os estupradores violentaram sua filha, Elina Das, e a deixaram inconsciente em frente de sua casa. Eles fizeram isso para tentar fazê-lo desistir de seu ministério no subdistrito de Fulbaria, a cerca de 120 km ao norte da capital.

Ele disse que há muito tempo vinha sofrendo por causa de seu ministério e do evangelismo, e já havia sido ameaçado de morte por diversas vezes. “Eu não dei atenção às ameaças e continuei a pregar e evangelizar, sempre em oração. Já que nada podia me parar, eles tentaram me envergonhar com esse estupro diante da comunidade para que eu fosse embora.”

Motilal Das foi o primeiro cristão da região, ele se converteu em 1986 e, desde então, tem sido uma peça fundamental no crescimento daquela localidade. Doze igrejas foram abertas e os cristãos já passam de 250, portanto, o pastor diz que é certo que esse estupro ocorreu para impedir seu ministério. “De outra forma, por que fariam isso com uma garota tão pequena?”, questionou ele.

Sua filha era a única estudante cristã em sua escola, e por isso, ela sempre sofreu com a perseguição, sendo ofendida com palavras duras e maliciosas. Os policiais disseram que ela foi rendida, amarrada com seu xale e presa próxima a um banheiro, a 400 metros de sua casa, e, ali, ela foi estuprada por cinco homens.

Ameaças de morte

Motilal Das disse que os prováveis suspeitos do ataque e os amigos deles os observavam enquanto ele ia prestar queixa na delegacia. O pastor relatou que eles o advertiram que se a queixa não fosse retirada, eles prejudicariam sua família de alguma forma. “Eu recebi diversas ameaças de morte, e eu, minha esposa, filha e filho, tivemos que passar dois dias e uma noite na delegacia para nos proteger.”

Elina Das identificou dois dos estupradores e disse que conseguiria identificar os outros se os visse. A polícia prendeu Shebul Miah, 22 anos, e Dulal Miah, 32 anos. Inicialmente, a polícia não queria registrar o caso, pois dizia que era falso.

O pastor Sento Mir, da Assembléia de Deus, pediu que o presidente da igreja estimulasse a abertura de caso pelos policiais. Quando ele entrou em contato com a delegacia, as queixas foram registradas.

A família foi desaconselhada a voltar para casa por causa dos diversos problemas que enfrentariam, e da humilhação e perseguição que sofreriam devido ao incidente.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco