Jovem saudita é morta pelo pai por causa de conversão

Uma jovem saudita foi punida com a morte pelo próprio pai por causa de sua conversão ao cristianismo. Tudo para “salvar a honra da família”.

O pai é membro da Comissão para a Promoção da Virtude e Contra o Vício, uma espécie de polícia religiosa, que tem a tarefa de velar pelos bons costumes e pela moralidade dos cidadãos na Arábia Saudita.

O diário de Dubai, “Gulf News”, que veiculou a notícia, não revelou nem a identidade, nem a idade da vítima, mas informou que a língua da jovem foi cortada. Segundo testemunhas que só concordaram em falar sob anonimato, o pai da moça teria ateado fogo na filha depois de uma acalorada discussão de caráter religioso.

Descoberta no computador

O irmão da vítima teria encontrado no computador  da moça alguns artigos sobre o cristianismo, que ela teria escrito em vários blogs e sites regionais com pseudônimo e com o símbolo da cruz.

A própria vítima, poucos dias antes de morrer, contou num site “o inferno pelo qual passou a ser sua vida familiar, depois que a família descobriu sua identidade cristã".

O pai da jovem, detido pela polícia, será provavelmente incriminado, não por homicídio, mas por “delito de honra”, crime punido com penas suaves, que oscilam entre seis meses e três anos de reclusão.