Cristãos começam a voltar para Mosul

Gradativamente, cristãos da cidade de Mosul estão voltando para casa.

A tensão dos recentes ataques contra eles está diminuindo, permitindo o retorno deles à idade.

Jawdat Ismaeel, funcionário local da Migração, disse que o êxodo de cristãos da cidade acabou, segundo a agência de imprensa Associated Press.

Em outubro, uma grande quantidade de ameaças de morte contra a comunidade cristã de Mosul levou metade dos cristãos da cidade, cerca de 13 mil cidadãos, a fugir da violência local.

Acredita-se que extremistas sunitas estavam por trás dos episódios de violência, na tentativa de pressionar os cristãos a saírem da região. No entanto, mais de 200 pessoas já retornaram aos seus lares.

Os atos de violência foram condenados pelo governo do primeiro-ministro Nouri Maliki, que chegou a oferecer 1 milhão de dinares iraquianos a cada família que retornasse a Mosul. Além disso, o Departamento de Migração concedeu aos funcionários públicos e estudantes cristãos uma licença até o fim de outubro para suas faltas tanto no trabalho quanto na escola.