Mãe de duas irmãs cristãs mortas em Mosul morre

A mãe de duas irmãs mortas em Mosul em 12 de novembro morreu devido aos ferimentos sofridos durante o ataque em sua casa.

Os funerais foram celebrados em 19 de novembro.

No dia 12 de novembro, um grupo de jovens armados atacou a casa de uma família sírio-católica na região de al-Qahira, matando as duas irmãs Lamia e Walàa Sobhy Salloha. Eles, então, voltaram-se para a mãe com uma faca.

O pai e outro filho que escaparam durante o momento do ataque estão salvos.

Inicialmente, a mãe, Selma Giargis, sobreviveu aos ferimentos, que não pareciam tão graves. Porém, no hospital de Mosul, suas condições pioraram, também por falta de medicamentos básicos.

A situação dos cristãos de Mosul tem piorado.

Em outubro último, 16 cristãos foram mortos e duas mil famílias foram forçadas a deixar suas casas. Nos últimos dias, cerca de 700 famílias retornaram, baseadas em promessas feitas pelo governo, de que aumentaria a segurança.

Imad Hanna, 52, fugiu para Karakosh, Curdistão a quase 60 quilômetros ao norte de Mosul. “O que me fez retornar não foi a segurança, mas necessidades materiais”, ele disse. Imad relata que as pessoas estão “atemorizadas” com as mortes.

O assassinato das duas irmãs e a posterior morte da mãe causou uma impressão negativa, pois os assassinos foram capazes de entrar em suas casas, fazendo com que qualquer abrigo pareça ser inseguro.