400 universitários cristãos são detidos e interrogados

Depois de investigações detalhadas, a agência de ajuda ChinaAid confirmou que, do final de setembro ao começo de novembro deste ano, foi designada uma força-tarefa da polícia para invadir reuniões privadas em Pequim e em áreas próximas a universidades em Hangzhou, província de Zhejiang.

Mais de 400 universitários cristãos foram detidos e interrogados. Líderes de igreja não-registradas que conduziam as reuniões foram detidos – quatro deles foram condenados a um ano e meio de reeducação pelo trabalho.

Membros da rede de igrejas não-registradas que promovia as reuniões foram acusados de “pregar a estudantes” e “estar engajados em seitas.” A rede em questão foi fundada pelo famoso pregador cristão Witness Lee.

Acredita-se que essa ampla opressão contra universitários cristãos de Pequim e Hangzhou é parte da tentativa do governo de limitar a liberdade religiosa dos cidadãos depois dos Jogos Olímpicos.