Jovem cristão é sequestrado e torturado em Orissa

Um jovem foi sequestrado e torturado por hindus, e a polícia não tomou nenhuma atitude. Um ativista confirmou que “a situação ainda é ruim” para os cristãos, e os extremistas continuam “perambulando livremente pelas vilas”, envolvidos em atos criminosos e atacando pessoas, sem nenhuma ação policial.

Em Daringabadi, uma vila do distrito de Kandhamal, a polícia se recusou a registrar o desaparecimento do jovem. Ao invés disso, expediu intimações para que o cristão fosse até a delegacia, para que as acusações feitas contra ele fossem investigadas.

“Em 11 de fevereiro, um grupo hindu cercou a casa de Golyat Pradhan, exigindo que o garoto de 22 anos e sua mãe Pusra se convertessem ao hinduísmo”, disse Sajan K. George.

“Quando os dois cristãos recusaram, o grupo se enfureceu. Os fanáticos “Arrancaram o homem da casa e bateram nele cruelmente. Sem poder fazer nada, a mãe assistiu a tudo, implorando para que tivessem misericórdia de seu filho. Seu choro os irritou mais ainda, e prenderam-na dentro de casa e trancaram a porta.”

Os extremistas levaram Golyat para a vila vizinha, arrastando e batendo nele. Armados com paus, eles amarraram o jovem em um poste, perto da entrada da vila, para evitar possíveis tentativas de salvamento.

O jovem apanhou até ficar inconsciente. Duas fogueiras foram acesas próximas ao poste em que estava amarrado. A tortura continuou até tarde, quando os extremistas ligaram para a polícia informando que haviam prendido um “Maoísta”, que invadiu a vila para estuprar as mulheres.

“A polícia chegou às 10 da manhã e libertou a mãe do jovem, que conduziu os agentes para a vila onde seu filho foi levado. Lá, não havia sinal dele. Ninguém soube de Golyat desde então”, disse Sajan K. George.

Desde agosto de 2008, quando a perseguição aos cristãos cresceu em Orissa, a família Pradhan tem sido vítima de fundamentalistas.

Fontes locais disseram que a perseguição se deve ao fato de que “eles são muitos amigos de um padre, situação que tornou a família alvo primário para fundamentalistas que querem reconvertê-los ao hinduísmo”.