Cinco missionárias são expulsas do país por evangelizar

Cinco missionárias européias foram expulsas do Marrocos por tentar converter muçulmanos nativos ao cristianismo. As cinco mulheres foram colocadas em um barco e enviadas para a Espanha – o país de origem de quatro delas. A outra é alemã.

O Marrocos se orgulha de sua tolerância religiosa, mas além desse fato, também tem pressionado muçulmanos xiitas nas últimas semanas.

É contra a Lei tentar converter muçulmanos marroquinos a outras religiões, e o ministro de assuntos internos disse que as cinco missionárias foram presas em flagrante.

Foram encontradas gravações em árabe com registros de quando a polícia invadiu a reunião em que elas estavam, descrita como evangélica.

Nos últimos anos, cristãos foram condenados por organizarem reuniões religiosas ilegais e ofensas parecidas na Argélia.

Os grupos de direitos humanos protestaram contra as últimas séries de acontecimentos promovendo a forma xiita do islã. O Marrocos é praticamente todo sunita.

O reino cortou as relações diplomáticas com o Irã no início desse mês, e acusou a embaixada iraniana de tentar converter marroquinos em xiitas.

Uma escola foi fechada e há relatos de livros e CDs que foram confiscados.

As autoridades marroquinas estão inflexíveis, afirmando que não há nenhuma ligação entre esses acontecimentos e a expulsão das cinco cristãs, mas uma fonte afirmam que isso não está convencendo a todos.