Protestos de muçulmanos interrompem construção de igreja

As autoridades em Bangladesh pediram uma paralisação de cinco meses na construção de uma igreja no norte do país, com medo de muitas conversões. Dizem que eles logo aprovaram o recomeço da obra.

Forkan Al Mashi, 55, pastor da Calvary Ishai Fellowship, começou a construção do templo no início de novembro de 2008 em Palashbari Mondol Para, a 350 quilômetros da capital Dhaka.

Malshi disse que, incitados pelos líderes do Jamaat-e-Islami, mais de 100 muçulmanos se reuniram em uma mesquita para protestar contra a construção da igreja.

Os aldeões queriam demolir o prédio, que já estava com os quatro pilares e o piso completos. Quando soube desses planos, Mashi avisou a polícia.

“Eu informei a polícia e instantaneamente dois pelotões (cerca de 25 policiais) se posicionaram perto do prédio. Alguns dos policiais foram até a mesquita para persuadir os muçulmanos a não demolirem os pilares e o piso do templo em construção”, disse Mashi.

Um oficial de polícia afirmou que os muçulmanos estavam preocupados com o número de conversões do islã para o cristianismo que haveria se a igreja fosse concluída.

“A obra da igreja foi interrompida pelo protesto dos muçulmanos locais. A população diz: ‘Porque deve haver igrejas em uma área predominantemente muçulmana?’. Um policial declarou: ‘Essa é a primeira igreja na área. Os moradores protestaram porque pensaram que haveria muitas conversões, e a igreja viraria o centro da vila".”

“Os cristãos nesse país têm o direito de praticar sua religião e de construir igrejas. Penso que a permissão será dada em breve pelo conselho da cidade. Se alguém protestar contra a construção, nós iremos protegê-la”, afirmou um oficial.

Depois que os muçulmanos protestaram, o prefeito parou com a obra. Normalmente, os moradores precisam de uma permissão para construir suas casas.

“Os muçulmanos locais apelaram para todos os níveis da sociedade para interromper a construção da igreja na vizinhança. Eles não querem que eu trabalhe para a expansão do reino de Deus aqui, e persuadiram o conselho da cidade para pararem com a obra. O prefeito me disse que como não tinha o plano de construção e a permissão necessários, teria que interromper a construção.”

Um dos membros do conselho disse que Mashi não precisava de autorização para construir sua pequena igreja. O prefeito garante que a construção poderá ser reiniciada em breve.

A Constituição de Bangladesh garante a liberdade religiosa.