Itamaraty critica discurso de presidente iraniano em conferência da ON

Ahmadinejad qualificou Israel de "racista"; delegados abandonaram o local.
"Manifestações dessa natureza prejudicam clima de diálogo", diz ministério.

O Ministério das Relações Exteriores brasileiro divulgou nota nesta terça-feira (21) com críticas ao discurso do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, durante a Conferência da Organizações das Nações Unidas (ONU) sobre Racismo, em Genebra, na segunda (20).

Em seu pronunciamento, Ahmadinejad qualificou Israel de "racista". 

"Depois do final da Segunda Guerra Mundial, (os aliados) recorreram à agressão militar para privar de terras a uma nação inteira, sob o pretexto do sofrimento judeu", disse o presidente iraniano. "Enviaram imigrantes da Europa, dos Estados Unidos e do mundo do Holocausto para estabelecer um governo racista na Palestina ocupada." Durante o discurso, delegados de países membros da União Europeia abandonaram o local.

Na nota, o Itamaraty afirma que o "governo brasileiro tomou conhecimento, com particular preocupação do discurso do Presidente iraniano que, entre outros aspectos, diminui a importância de acontecimentos trágicos e historicamente comprovados, como o Holocausto".

"O Governo brasileiro considera que manifestações dessa natureza prejudicam o clima de diálogo e entendimento necessário ao tratamento internacional da questão da discriminação", diz o governo, na nota. Segundo o ministério, o governo brasileiro aproveitará a visita de Ahmadinejad, prevista para o dia 6 de maio, para "reiterar suas opiniões sobre esses temas".