Cristãos fogem de Swat Valley com medo da violência

O Talibã armou uma vingança contra os cristãos devido à ofensiva do exército contra os militantes islâmicos no Paquistão.

Furiosos com os Estados Unidos e as operações militares em Swat Valley, o Talibã atacou uma comunidade cristã, causando pânico e medo entre as pessoas e os forçando para que se juntassem aos outros 200.000 que já deixaram a cidade.

Na cidade de Karachi, crescente domínio do Talibã, houve relatos de ataques de extremistas à comunidades cristãs.

O pastor Salim Sadiq da Igreja Holy Spirit em Karachi, disse que muitas casas cristãs foram destruídas por extremistas islâmicos que juraram vingança pelo “sofrimento de seus companheiros na área”.

“Eles invadiram nossas casas gritando ‘Morte aos infiéis ’, e nos agrediram e ameaçaram se não nos convertermos ao islã”, relembra Sadiq.

Ele lamenta: “Os cristãos não têm escolha aqui. Nós sofremos assim há décadas, sob o domínio de militantes muçulmanos que estupram nossas filhas, queimam nossas igrejas e invadem nossas casas”.

“Apesar de a maioria muçulmana não ter que se preocupar com a ofensiva militar ao Talibã, para os cristãos, tão poucos e frágeis, é uma preocupação muito séria, o que aumentará a pressão e violência do Talibã contra nós”, acrescenta.

A ONU afirma que mais de 800.000 paquistaneses fugiram do conflito entre o exército e o Talibã.

Um representante da ONU diz que essa fuga causará ainda mais conflitos: “Se você não consegue lidar com os desafios de um número tão grande de refugiados indo para outros países que não tem capacidade econômica para recebê-los, e se não é elaborada uma solução efetiva, a população será um enorme fator para a desestabilização”.

 O primeiro ministro Yusuf Raza Gilani afirmou que o exército paquistanês encerrará a ofensiva contra os militantes do Talibã em Swat Valley, e assim, a paz estará garantida.