Cristãos refugiados podem não receber ajuda do governo

| 16/07/2009 - 00:00


Cristãos refugiados em Swat Valley e em Malakand não estão recebendo a ajuda prometida pelo governo.

No dia 13 de julho, Islamabad iniciou os procedimentos para a volta das pessoas desalojadas. O primeiro-ministro Yousaf Raza Gilan disse que as operações do exército conseguiram remover o talibã de lugares como Bonier, Dir, Swat Valley e muitas outras regiões de Malakand. Diversas áreas no nordeste do país – próximo à fronteira com o Afeganistão – estão seguras e os refugiados podem voltar para casa.

Para encorajar a volta à normalidade, o governo decidiu dar 25 mil rúpias (cerca de 230 euros) como compensação para as famílias afetadas pela guerra entre o exército e o talibã. A primeira operação para o repatriamento de refugiados começou nos campos em Mardan, com a entrega da quantia como incentivo para a reconstrução das casas.

Uma reportagem aponta que não há muitos cristãos refugiados nos campos do governo. Somente 60 famílias estão registradas em um centro cristão em Mardan, criado e mantido pela Igreja no Paquistão. No entanto, os “milhares de cristãos” que estão morando com parentes e amigos no norte do país e em Punjab correm o risco de não receberem nenhuma compensação.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE