Monges presos são levados para campo de concentração

Os 15 monges da Igreja Ortodoxa Eritreia, presos na capital Asmara em 21 de junho, foram transferidos para o campo de concentração militar de Mitire.

Há poucos detalhes, mas fontes afirmam que os monges foram agredidos assim que chegaram ao campo. Eles estão mantidos isolados em solitárias.

Segundo contatos eritreus, os monges planejavam fazer uma reunião e salientar essa interferência, exemplificada no caso do ex-patriarca Abune Antonios, que foi destituído de sua posição e substituído por Yeftahe Dimitros, designado pelo governo.

Fontes no país disseram que, após o incidente, os líderes da igreja à qual os monges pertencem serão investigados para descobrir se haviam concedido permissão para a reunião proposta.  Não há novas informações sobre o andamento dessa investigação.

Mais de 2.800 cristãos estão detidos em prisões, delegacias, campos militares e de trabalhos forçados por conta de sua fé em Cristo.

Eritreus afirmam que o campo de concentração militar de Mitire foi criado com o objetivo claro de punir aqueles que continuam a praticar a fé cristã fora das estruturas religiosas ortodoxa, católica ou luterana.

Pedidos de oração:

• Interceda pelos prisioneiros cristãos na Eritreia. Que Deus supra as necessidades que têm, a despeito da horrível condição em que estão mantidos.

• Peça ao Senhor para proteger esses monges. Que a graça de Deus os capacite a resistir.

• Interceda pelo presidente Afwerki. Que ele se arrependa de seus atos e tema a Deus.