Cristãs iranianas são julgadas mas não recebem sentença

| 11/08/2009 - 00:00


Durante uma audiência no último domingo, 9 de agosto, as autoridades iranianas disseram para Maryam Rustampoor e Marzieh Amirizadeh, convertidas do islã para o cristianismo, para desistirem de sua nova fé.

Maryam, 27, e Marzieh, 30, foram presas pela primeira vez no dia 5 de março de 2009, por abandonarem o islamismo. As autoridades iranianas as mantiveram na solitária da prisão de Evin, desprovidas de tratamento médico, vendadas, e passando por longos períodos de interrogatório. Recentemente, foram transferidas para uma cela lotada.

No momento da audiência, o promotor público, Haddad, perguntou para Maryam e Marzieh  sobre sua religião e disseram para que elas desistissem de sua crença em Cristo. Quando ele questionou se eram cristãs, elas responderam: “Nós amamos Jesus”. Então, ele repetiu a pergunta, e elas disseram: “Sim, nós somos cristãs”.

Quando o promotor afirmou: “Vocês eram muçulmanas e se tornaram cristãs”, elas responderam: “Nós nascemos em famílias muçulmanas, mas não somos muçulmanas”.

Durante o interrogatório, quando elas fizeram referência a como Deus as confrontou pelo Espírito Santo, o promotor disse: “É impossível Deus falar com os seres humanos”. Então, Marzieh perguntou: “Você está questionando o poder soberano de Deus?”. Ele respondeu: “Você não é digna de que Deus fale com você”. Marzieh disse: “Não é você, e sim Deus, que deve dizer se sou digna ou não”.

Antes que a audiência acabasse, o promotor disse para que elas pensassem na opção de retornar ao islamismo, mas Maryam e Marzieh responderam: “Nós já nos decidimos”.

Depois disso, elas foram enviadas de volta para prisão até decidirem desistir de sua religião. Apesar de a acusação pedir a mesma sentença dada em casos de apostasia, o juiz não pronunciou nenhum veredicto.

Cinco meses de abuso e maus tratos causaram danos na saúde de nossas irmãs. Elas perderam peso e não receberam atendimento médico. Marzieh tem sofrido de dores na coluna, infecção dentária e fortes dores de cabeça.

Os cristãos iranianos pedem nossas orações, e agradecem a Deus por ter sustentado Maryam e Marzieh na prisão e durante o interrogatório.

Ore

• Para que Maryam e Marzieh continuem a sentir a presença e o consolo de Deus.

• Para que Marzieh receba cuidados médicos apropriados, e receba a cura.

• Para que nossas irmãs continuem firmes em sua fé, mesmo em meio à perseguição. E que elas sejam soltas o mais rápido possível.

• Para que os oficiais envolvidos sejam misericordiosos e conheçam o Senhor Jesus. E que o governo iraniano cesse a perseguição aos cristãos.

Com informações da agência Middle East Concern


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE