Fifa quer proibir manifestações religiosas na Copa da África

| 21/08/2009 - 00:00


Assim que o Brasil superou os Estados Unidos e conquistou a Copa das Confederações na África do Sul, em junho, uma cena correu o mundo. Abraçados no centro do campo, os jogadores oraram e agradeceram a conquista. A cena, tocante para alguns, acabou incomodando pessoas ligadas ao futebol. E pode resultar em uma interferência da Fifa.

De acordo com o jornal espanhol As desta quinta-feira, uma reclamação proveniente do presidente da Federação Dinamarquesa de Futebol, Jim Stjerne Hansen, poderá causar a proibição de manifestações religiosas nos jogos da Copa do Mundo da África do Sul, em 2010.

O dirigente procurou o presidente da Fifa, Joseph Blatter, e alegou que "a religião não tem lugar no futebol". O suíço concordou: "A expressão de fervor religioso dos brasileiros durou tempo demais e isso acaba causando confusão entre religião e esporte", afirmou Blatter.

O presidente da Fifa está disposto a orientar jogadores, técnicos e árbitros para que qualquer manifestação religiosa durante os jogos da próxima Copa seja punida. A atitude revoltou o Vaticano e o presidente da Fundação João Paulo II pelo Esporte, Eddio Constantini.

"É um erro tentar separar o esporte dos valores éticos que a fé cristã defende há séculos. Blatter e a Federação Dinamarquesa estão errados e espero que eles reconsiderem essa decisão sem cabimento", afirmou Constantini.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE