Novo código obriga alunas a usarem vestimentas islâmicas

Gaza deu outro passo em direção à lei islâmica nesta semana com a imposição de um novo código de vestimenta para alunas. As meninas e jovens que voltaram às aulas no domingo souberam que agora devem usar jilbab, túnicas tradicionais islâmicas de manga comprida, e cobrir o cabelo, ou não poderiam entrar nas salas de aula.

“Diversos cartazes pendurados nas escolas da cidade de Gaza anunciavam que todas as meninas deveriam usar uma jilbab azul marinho, um lenço branco na cabeça e sapatos pretos ou brancos. Dezenas de estudantes afirmaram terem sido mandados de volta para casa por estarem usando jeans.”

“Além disso, as escolas públicas separaram as classes de meninos e meninas, que agora estão em prédios separados.”

De acordo com alguns moradores, as novas regras estão sendo aplicadas também aos membros de pequenas regiões cristãs, apesar de que os cristãos são uma exceção à lei islâmica. No entanto, as regras não serão adotadas pelas escolas particulares cristãs.

Os oficiais do Hamas negaram qualquer envolvimento com a imposição de código de vestimentas nas escolas. A decisão de impingir esses padrões foi feita localmente, por autoridades individuais. Eles disseram que a maior parte das meninas e de suas famílias foi a favor dos novos códigos.

“As informações sobre o novo código de vestimenta causou indignação em Judeia e Samaria, onde as autoridades palestinas acusaram o Hamas de violar os direitos civis, em que é proibido forçar um código de vestimenta público.”

“No início desse mês, um juiz em Gaza ordenou que todas as advogadas cobrissem o cabelo no tribunal. A decisão causou uma onda de protestos de advogados e grupos de direitos humanos em Gaza, Judeia e Samaria. O Hamas se afastou de qualquer envolvimento, dizendo que a questão era algo que os próprios tribunais deveriam resolver.”