Novos tsunamis ameaçam o Sudeste Asiático

Uma série de tsunamis atingiu a Samoa Americana e a Samoa Ocidental, matando possivelmente mais de 100 pessoas, várias delas arrastadas para o mar, segundo autoridades. Algumas aldeias foram destruídas, e há centenas de feridos.

Imagens de TV mostraram casas rachadas ao meio, carros submersos no mar ou em cima de árvores e grandes barcos de pesca encalhados por causa das ondas geradas por um terremoto de magnitude 8 a sudoeste da Samoa Americana.

Horas depois, um outro terremoto, de magnitude 7,9, ocorreu na ilha indonésia de Sumatra, levando o Centro de Alerta para Tsunamis do Pacífico a emitir um alerta válido para Indonésia, Índia, Tailândia e Malásia.

O primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, disse que pelo menos 60 pessoas foram mortas em Samoa Ocidental, que é um país independente. A imprensa local disse que havia três australianos entre as vítimas fatais. Equipes de resgate ainda procuram corpos na costa sul da ilha de Upolu e dizem que o número de vítimas fatais pode passar de 100.

Pelo menos 20 localidades no lado sul de Upolu estariam destruídas, inclusive Lepa, onde vive o primeiro-ministro de Samoa Ocidental. A região tem grande atividade turística, e as ondas destruíram alguns resorts.

"Felizmente o alarme soou no rádio e deu tempo para que as pessoas buscassem terrenos mais altos. Mas nem todos escaparam", disse o primeiro-ministro Tuilaepa Sailele Malielegaoi, acrescentando que duas crianças foram varridas pelo mar quando eram levadas a um hospital para receberem tratamento contra gripe.

Na vizinha Samoa Americana, há pelo menos 24 mortos e 50 feridos, segundo o governador Togiola Tulafono, que está no Havaí. De acordo com ele, a porção sul da ilha principal, Tutuila, foi "devastada", e autoridades dizem que o número de vítimas fatais ainda pode aumentar.

Na Indonésia, o tremor de magnitude 7,6 ocorreu nos arredores da cidade de Padang, no litoral da ilha de Sumatra, e foi sentido em toda a região, e alguns edifícios comerciais altos de Cingapura, 440 quilômetros a nordeste, foram desocupados. Ainda não se sabe se há vítimas.

"Centenas de casas foram danificadas ao longo da rua. Há alguns incêndios, pontes estão cortadas e há um pânico extremo aqui, talvez porque os canos d"água foram rompidos e há inundação nas ruas", disse uma testemunha da Reuters na cidade.

Padang, capital da província indonésia de Sumatra Ocidental, fica sobre uma das falhas geológicas mais ativas do mundo, parte do chamado "Anel de Fogo do Pacífico".

Em 2004, um terremoto de magnitude 9,15, com epicentro a cerca de 600 quilômetros a noroeste de Padang, provocou o tsunami que matou 232 mil pessoas em 11 países banhados pelo oceano Índico. O foco do terremoto de quarta-feira estava a 85 quilômetros de profundidade, segundo o Serviço Geológico dos EUA, que inicialmente apontou uma magnitude de 7,9, depois revista para 7,6.

Geólogos há muito tempo dizem que a cidade de Padang, com 900 mil habitantes, pode ser destruída por um tremor de terra. "Padang fica bem em frente à área com maior potencial para um terremoto de magnitude 8,9," disse em fevereiro Danny Hilman Natawidjaja, geólogo do Instituto Indonésio de Ciências. Ele alertou também que "a cidade inteira pode ser afogada" por um tsunami provocado por um terremoto dessa magnitude.