Cristãos são pressionados a se reconverterem ao islamismo

Cerca de 2.000 pessoas participaram de uma reunião na vila de Passlia, às 9h da manhã, na terça-feira, dia 16 de junho. Somente 12 delas eram cristãs, recém-convertidas. Os muftis (eruditos islâmicos) da cidade organizaram o tal evento para reconverter os novos cristãos ao islamismo.

Um líder local disse: “Vamos marcar uma nova data para que os cristãos se encontrem com os eruditos islâmicos. Se eles convencerem os eruditos, nós iremos nos converter ao cristianismo”. 

O Diretor-executivo da Igreja Caminho de Paz, Mannan Mridah, respondeu: “Mas nós não viemos aqui para brigar, porque acreditamos que Deus é amor”. Os cristãos que estavam com ele mantiveram firme sua fé.

Dezesseis famílias cristãs vivem na vila de Passlia, no subdistrito de Alamdanga, distrito de Chuadanga, a 225 km a noroeste de Daca. Todas elas pertencem a Igreja Caminho de Paz. Segundo uma fonte local: “Duas famílias temeram por suas vidas, porque há uma grande pressão sendo feita por diversos muftis que descobriram que elas se converteram”.

Durante o encontro, um muçulmano retorquiu: “É uma vergonha para um muçulmano se tornar um cristão. Nós não permitiremos que isso aconteça em Passlia. Nós iremos trazer essas famílias de volta ao islamismo a qualquer custo”. Ele também acusou os cristãos de destruir os relacionamentos familiares na vila, quando convertem muçulmanos, e proibiu a pregação na vila.

Hobibur Rahman, um pastor de meia-idade da Igreja Caminho da Paz, sofre perseguição de sua própria família. Ele tem três filhos e uma filha.

O pastor nos disse com o coração desanimado: “Quando meu filho mais soube sobre minha conversão, ele ficou muito irritado. Ele reuniu os muçulmanos contra mim no dia 16 de junho. Pelo menos 200 pessoas vieram a minha casa e começaram a me bater. No meio da gritaria, senti vergonha, porque minha esposa e meus filhos estavam ali, presenciando tudo o que estava acontecendo. Eles ameaçaram quebrar minha pernas, mas não fizeram isso. Alguns líderes fizeram meu filho escolher entre o pai e a casa, ele escolheu a segunda coisa”.

Os muçulmanos expulsaram Hobibur da vila. Ele lamentou: “Agora, vivo separado da minha família e tenho que ficar me movendo de lugar em lugar. Também fui proibido de usar água encanada”.

Pedidos de oração

1. Os cristãos de Passlia estão correndo perigo de serem expulsos da vila, assim como Hobibur.  Oremos para que Deus intervenha a favor deles e para que continuem a permanecer firmes no Senhor apesar da pressão.
 
2. Ore pelo pastor Hobibur para que encontre forças e encorajamento na Palavra de Deus e em seu povo durante esse período de dificuldades. Peça a Deus que sua família também encontre Cristo.

3.  Ore pelos novos convertidos de Passlia, que sofrem pressão para desistir da fé. Interceda por eles e peça que o Senhor os sustente.