Cristãos egípcios são severamente perseguidos, afirma relatório

Um novo relatório sobre liberdade religiosa no Egito revelou que os cristãos coptas, que representam 10% de uma população de 80 milhões de pessoas (de acordo com o CIA factbook) enfrentam graves violações de direitos humanos e têm sido muito perseguidos.

O documento de 36 páginas, compilado pela Iniciativa Egípcia pelos Direitos Civis (EIPR, em inglês), disse que o governo nega aos coptas o direito de construir igrejas e orar em casa.

As casas de alguns coptas, particularmente no sul do Egito, foram demolidas ou fechadas porque o governo suspeitava que fossem clandestinas, e que os ataques contra os coptas continuaram durante três meses, e três pessoas foram mortas.

De acordo com a EIPR, a cada mês acontecem cerca de quatro ataques contra os coptas; nos últimos meses, mais de 144 ataques foram registrados em todo o país.

Leia mais sobre a Igreja no Egito na página de perfil de países.