Muçulmanos ameaçam matar padre por causa de minaretes

Em resposta a um referendo suíço que proíbe a construção de minaretes em mesquitas, um grupo de muçulmanos no leste da Turquia foi até uma igreja e ameaçou matar um padre a menos que ele derrubasse a torre do sino de sua igreja.

No dia 4 de dezembro, três muçulmanos entraram na igreja Meryem Ana, uma igreja ortodoxa síria em Diyarbakir, e confrontaram Yusuf Akbulut. Eles disseram que o matariam, a menos que ele destruísse a torre do sino de sua igreja.

“Se a Suíça está demolindo nossos minaretes, vamos demolir os sinos de suas igrejas também”, um dos muçulmanos disse a Yusuf. As ameaças aconteceram em reação ao referendo de 29 de novembro na Suíça, em que 57% dos presentes votaram a favor da proibição da construção de novos minaretes no país. Os legisladores da Suíça devem alterar a constituição nacional para validar o referendo, um processo que pode demorar cerca de um ano.

A proibição, vista em todo o mundo como uma violação da liberdade religiosa, deverá enfrentar muitos obstáculos legais na Suíça e no Tribunal Europeu de Direitos Humanos.

Há cerca de 150 mesquitas na Suíça, com quatro minaretes. Dois deles são planejados. O chamado para a oração tradicional em países de maioria muçulmana não é feita de nenhum dos minaretes.

Fikri Aygur, vice-presidente da União Síria Europeia, disse que Akbulut contatou a polícia, mas ainda teme futuros ataques por causa das ameaças.

“Ele entrou em contato com a polícia, e agora existem guardas protegendo o local. Conversei com ele há dois dias, e ele disse: ‘É meu dever proteger a igreja, então continuarei aqui e deixarei nas mãos de Deus’.”

A Igreja Meryem Ana tem mais de 250 anos, e é uma das principais igrejas que servem a comunidade síria na Turquia. Os sírios são minoria étnica e religiosa na Turquia, e foram um dos primeiros grupos de pessoas a aceitar o cristianismo. Eles falam um dialeto do aramaico, o idioma falado por Cristo. Diyarbakir está localizada no leste da Turquia.