Cristãos são atacados na manhã de Natal

Um grupo de muçulmanos xiitas atacou uma cidade cristã assíria, no norte do Iraque, na manhã de Natal.

Os agressores, um grupo minoritário chamado Shabak, tomou a entrada da cidade de Bartilla, de maioria cristã, ao norte de Mosul, e destruiu a decoração de Natal no mercado assírio.

Testemunhas afirmam que os integrantes do grupo também agrediram as pessoas que seguiam em procissão para a igreja de Saint Mary, jogando pedras nos cristãos.

Cerca de 100 shabaks armados tentaram invadir a igreja Saint Mary, mas os guardas bloquearam a entrada, o que gerou um conflito e troca de tiros que deixou quatro cristãos feridos.

Os assírios de Bartilla, que estão desarmados, temem mais ataques contra a comunidade no futuro.

Os cristãos em Bartilla disseram não ter provocado o ataque e contam que já trabalharam com os shabaks para lutar pelos direitos das minorias étnicas no Iraque.

Os agressores dos shabaks são moradores de Bartilla e eram liderados por Hassan Ganjou, que fazia parte do Mahdi Army (JAM) e do Supremo Tribunal Islâmico do Iraque, e agora trabalha como segurança para um membro do parlamento shabak.

O ataque em Bartilla aconteceu após um bombardeio em Saint Thomas na semana passada, que deixou dois mortos e cinco feridos.

Desde 2003, mais de 200 cristãos foram mortos no Iraque e, desde junho de 2004, cerca de 65 igrejas foram atacadas ou bombardeadas, incluindo 40 e Bagdá, 19 em Mosul, cinco em Kirkuk, e um em Ramadi.

Grupos de direitos humanos como o Instituto Huhdson para a liberdade religiosa criticaram o governo iraquiano por não proteger a minoria cristã no país.

Estima-se que, desde 2003, de 250.000 a 500.000 cristãos deixaram o país.