Jovem é expulsa de escola na Espanha por usar véu

| 22/04/2010 - 00:00


A expulsão de uma jovem muçulmana espanhola de origem marroquina de um colégio do subúrbio de Madri por utilizar o véu islâmico desencadeou nesta quarta-feira um debate inédito na Espanha sobre o polêmico véu.

A decisão de um instituto de Pozuelo de Alarcón, nos arredores de Madri, cujo regulamento interno proíbe que alunos assistam às aulas com a cabeça coberta, seja com véus, gorros ou chapéus, desatou a ira das associações muçulmanas e uma certa divergência no seio do governo socialista.

A direção do estabelecimento decidiu na terça-feira à tarde não modificar seu regulamento. Algumas amigas de Najwa Malha, a estudante expulsa, assistiram às aulas utilizando o "hijab" (véu islâmico) como prova de solidariedade, segundo imagens televisivas.

Associações que representam a comunidade muçulmana na Espanha anunciaram nesta quarta-feira sua intenção de recorrer ao Tribunal Constitucional para denunciar que o regulamento interno de um colégio "não pode se colocar acima da lei" e atentar contra o direito de educação de um estudante.

A região de Madri, governada pela direita, apoia o instituto, enquanto no governo socialista alguns ministros emitiram opiniões divergentes, entre apelos à tolerância ou pelo respeito à educação laica.

Se, por um lado, a ministra de Assuntos Sociais, Trinidad Jiménez, disse que não havia necessidade alguma "nem de proibir, nem de regular" o tema, a ministra da Igualdade, Bibiana Aído, afirmou que era "pessoalmente" contra a utilização do véu islâmico nas mulheres.

As autoridades regionais propuseram transferir a aluna para outro colégio da região que não aplique este tipo de regulamento rigoroso.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE