Supervisão de perto na vida religiosa é a política central

| 11/02/2004 - 00:00


Um documento que foi publicado recentemente e emitido por um oficial do governo da área de relações religiosas revela que a supervisão de perto na vida religiosa na Bielo-Rússia por representantes de baixo escalão não é nem um vestígio da prática nos tempos soviéticos nem o resultado da arbitrariedade individual, mas sim uma parte integral da política central atual.

O documento, uma cópia que foi recebida pelo Forum18, é uma carta datada de 28 de outubro de 2003 do vice-presidente do Comitê do Estado para Relações Étnicas e Religiosas, Vladimir Lameko. Consiste em recomendações ao comitê executivo de Nesvizh, região do sudeste de Minsk, capital do país. (Cada uma das seis regiões administrativas na Bielo-Rússia é dividida em aproximadamente 20 distritos).

Lameko nota uma "violação crua" da lei em Nesvizh entre 1998 e 2002, "predominantemente pelas comunidades protestantes. "Ele cita a ausência do registro do estado pelos pentecostais na vila de Seilovichi e Testemunhas de Jeována na cidade de Gorodeya. Além disso, ele informa que um número de comunidades protestantes estão usando acomodações residenciais, funcionando fora dos confinamentos do território estabelecido, "eventos religiosos não sancionados" em lugares públicos e ensinando religião aos menores sem a permissão de seus pais.

O Forum18 já relatou como, contando com dois ou três oficiais lidando com relações religiosas no âmbito regional, cada distrito administrativo tem um departamento para relações com religiões e organizações sociais e comissões monitorando a submissão com a legislação na religião. São essas comissões que Lameko aponta "que os distritos não têm desempenhado completamente seus papéis". Quatro câmaras regionais, reclama ele, ainda nem estabeleceram tais comissões, enquanto que outras existem somente nos papéis.

Com a meta de melhorar os esforços em relação a "regular a situação étnica confessional," Lameko requer o trabalho de comissões monitorando a submissão com a legislação da religião para ser posta em atividade. Alertando que o recadastramento pelas comunidades pentecostais de Nesvizh pode estar em perigo pela posição tomada pela liderança regional, ele enfatiza que: "o trabalho no recadastramento com a liderança de oranizações religiosas deve ser prioridade no atual momento."

O vice-presidente do Comitê recomenda que as comissões adotem várias medidas, tais como: maior monitoramento da atividade das organizações religiosas, especialmente comunidades protestantes (incluindo visitas regulares durante as reuniões de louvor e conversas com os líderes e ativistas), vistorias regulares nas estruturas que não estiverem cadastradas para por fim em suas programações, eventos religiosos e de ensino; trabalho sistemático com a liderança de comunidades católicas visadas no uso principal dos idiomas russos e bielo-russos pelas personalidades católicas estrangeiras.

Relutante ao comentário do dia 6 de fevereiro, Vladimir Lameko contudo disse ao Forum18 que existem padres poloneses em Nevizh que não sabem falar bem nem o russo e nem o bielo-russo, e que as autoridades do estado estão os encorajando a falarem esses idiomas para as reuniões de louvores, incluindo os sermões. Ele enfatizou que isso foi "estritamente a pedido dos fiéis."

No mesmo dia, Slutsk, uma irmã disse ao Forum18 da igreja católica de St Anthony, que a diocese de Nevizh possui cinco padres: um local e quatro poloneses. Ele acrescentou que, entretanto, que as missas na região - incluindo sermões - são feitas em bielo-russo, sendo que os padres da Polônia falam rezoavelmente bem. Enquanto ela achava que o número de paroquianos em Nesvizh preferissem o idioma polonês, ela disse que isso era o que pensava um padre local.

No dia 9 de fevereiro o bispo pentecostal da Bielo-Rússia disse ao Forum18 que, enquanto sua união tiver subdivisões regionais não registradas o status será puramente interno. Sergei Khomich explicou que eles formaram uma camada entre as igrejas e as uniões regionais, todas com a intenção de terem o registro de acordo com a lei de 2002.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE