Discussão sobre mesquita em Nova Iorque: perigo aos cristãos perseguid

| 06/09/2010 - 00:00


A retórica a qual às vezes é usada por oponentes da mesquita que será próxima do marco zero pode resultar em violência contra cristãos morando em países dominados pela religião islâmica, advertiu o líder de um ministério que trabalha com cristãos perseguidos por essas nações.

"Acho importante lembrar, e muitos americanos não se dão conta, de que há milhões de cristãos no Oriente Médio," disse Dr. Carl Moeller, presidente/CEO da Portas Abertas Estados Unidos, na quarta-feira.

Moeller, que observou a existência de aproximadamente 10 milhões de cristãos no Egito e seis milhões no Paquistão, disse que os protestos "mais vis e detestáveis" contra o projeto podem enfurecer extremistas muçulmanos. Pelo fato de extremistas no Oriente Médio não poderem descontar sua raiva nos americanos, eles se vingam dos cristãos locais, os quais eles associam com a América, disse ele.

O presidente também lembrou que anos atrás, desenhos dinamarqueses satíricos do profeta muçulmano Maomé causaram um protesto massivo no Oriente Médio. Durante o tumulto, muçulmanos zangados bateram em cristãos locais e incendiaram Igrejas.

"Nós falamos frenquentemente de nossos direitos como americanos de protestar, é verdade," disse Moeller e acrescentou: "Mas também temos responsabilidades, não apenas com nossas sociedades, mas com aquelas comunidades vulneráveis que estão em risco por causa de nossas ações."

Durante meses, americanos comuns, político e recentemente até o presidente Obama tem entrado num debate preocupante a respeito da existência do centro comunitário muçulmano de 0 milhões e a mesquita, se deveriam ser construído há duas quadras do marco zero.

Os proponentes do projeto, chamados de Park51, dizem que a construção seria um símbolo da tolerância religiosa da América e fortaleceria relações inter-religiosas. Entretanto, oponentes dizem que o centro seria uma ofensa para às quase 3.000 pessoas que morreram nos ataques terroristas de 11 de setembro.

Recentemente, o Governador de Nova Iorque, David Paterson entrou na controvérsia oferecendo discutir com os desenvolvedores do Park51 sobre mudar o centro para outro local.

As Propriedades SoHo, o desenvolvedor do Park51, expressou interesse na discussão com Paterson.

Enquanto isso, Moeller pediu aos americanos a tentarem permanecer civis no debate.

"Quando deixamos nossas emoções saírem do controle e deixamos nosso derramamento de desacordo virar ódio e calúnia, então isso será ecoado e amplificado no mundo muçulmano," advertiu Moeller. "O resultado final é que pessoas inocentes são mortas, pastores são assassinados e Igrejas são incendiadas por todo o mundo muçulmano."

A Portas Abertas trabalha para fortalecer cristãos sofrendo prisão, interrogatórios e outras formas de opressão por causa de sua fé que eles exercem em mais 45 dos países mais perseguidos mundialmente.

Saiba mais sobre o dia da queima do Alcorão aqui.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE