Pastor adventista sofre ameaças de morte

| 02/03/2004 - 00:00


O pastor adventista Khalid Babaev e sua família foram forçados a deixar a cidade de Nakhichevan depois da polícia ter recusado de protegê-los em face das repetidas ameaças de pessoas desconhecidas deste local. A família fugiu tarde da noite da última sexta feira, disse Yahya Zavrichko, chefe da igreja adventista no país, ao Forum18 no dia 1 de março em Baku, capital do Azerbaidjão.

Ainda assim, Idris Abbasov, chefe do braço do Comitê do Estado para Obra com Relações Religiosas em Nakhichevan, recusou-se a comentar o caso ao Forum18 no dia 1 de março dizendo que ele não possuia informação, embora Babaev tinha o informado das ameaças. Estamos passando por dias difíceis neste momento em Ashura, acrescentou ele, referindo à comemoração da Shia Muçulmana do martírio do imã Husayn, neto do profeta Maomé, quando os ânimos ficam exaltados. Tenho estado muito ocupado ultimamente para que eu me preocupe com esse caso. Babaev é o segundo pastor adventista que se retirou de Nakhichevan nos últimos anos.

Em meados de fevereiro a família Babaev recebeu pela primeira vez ameaças anônimas por telefone. A mesma pessoa voltou a ligar no dia 24 de fevereiro, com as mesmas ameaças com palavras obscenas. Eu irei até ai para tirar a sua alma! citando as palavras dessa pessoa. Reunirei um grupo de pessoas e te arrastarei deste local! À tarde da noite deste mesmo dia eles receberam mais um telefonema anônimo. No dia seguinte, cinco homems - um deles se apresentando como um motorista de nome Jamil (último nome desconhecido) - apareceram no portão da residência de Babaev e o ameaçou de juntar um grupo de pessoas para matá-lo ou expulsá-lo de lá. A polícia se recusou a ajudá-lo ou até mesmo de aceitar o seu depoimento a respeito das ameaças. Eles também se recusaram a discutir as ameaças com o Forum18.

Babaev, sua esposa e seu filho mais novo tinham passado a noite em um outro local, por temer continuar morando na residência atual, que servia também como igreja. Zavrichko disse ao Forum18 que os vizinhos informaram a Babaev que no dia 27 de fevereiro cinco homems tinham entrado em sua casa novamente. Foi ai então que eles decidiram deixar a cidade.

Zavrichko relatou que Babaev e sua família se refugiaram na cidade de Gyanja. Não sei dizer se eles terão condições de retornar à Nakhichevan. Não sabemos se será seguro. Ele disse que a pequena comunidade lá de alguns dezessete adventistas está agora incapacitada de se reunir sem poder realizar seus encontros aos sábados, que é o dia sagrado para eles. Eles estão bem assustados, disse ele ao Forum18.

Babaev escreveu para o presidente do Azerbaidjão Ilham Aliev no dia 25 de fevereiro para proteger seus direitos constitucionais como cidadão deste país. Zavrichko disse ao Forum18 que não recebeu nenhuma resposta do presidente até agora. Ainda temos esperança de receber uma resposta - por uma decisão melhor no que se refere a um local para se morar. Estamos orando para isso.

Abbasov mais uma vez voltou a afirmar ao Forum18 que todo mundo no país desfruta do direito de liberdade de consciência e liberdade de praticar qualquer religião. Ele descreveu como impossível para qualquer um ser expulso da própria residência em Nakhichevan e acrescentou ainda que há tolerância religiosa nessa região. Entretanto, ele negou todos os comentários do caso de Babaev até mesmo depois que seu escritório tivesse condições de averiguar o caso. Pedi ao meu assistente para investigar o caso e vocês ficarão a parte. Ele não deixou claro se ele contratara a polícia para discutir as ameaças.

Um ex-pastor da igreja adventista de Nakhichevan, Vahid Nagle, foi deportado junto com sua família nesta mesma região em junho do ano retrasado, embora a lei do país não possui provisões para deportação. A igreja em Nakhichevan (bem como as congregações protestantes no Azerbaidjão) não têm tido sucesso para conseguir registro de suas atividades junto ao governo.

Abbasov rejeitou qualquer sugestão de que as autoridades ou residentes não quisessem os adventistas em Nakhichevan. Não sei dizer se existem pessoas que odeiam outras pessoas por motivos religiosos, disse ele ao Forum18.

Zavrichko disse que as ameaças contra Babaev e o julgamento do imã da mesquita de Baku, Ilgar Ibrahimoglu, estão para acontecer hoje (2 de março) em uma reunião em Moscou no escritório regional da Associação Internacional de Liberdade Religiosa. Um caso isolado de confiscar a mesquita Juma de seus fiéis em Baku se iniciou no dia 1 de março depois de uma audiência preliminar ocorrida no dia 25 de fevereiro.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE