Caso de afegão convertido ganha atenção sem resolução

| 13/12/2010 - 00:00


Uma audiência do caso de Sayed Mossa, o preso afegão convertido ao cristianismo, já havia sido adiada por duas vezes, quando ele entrou no tribunal no centro de Cabul, em 27 de novembro. "Eu fiquei muito, muito feliz", escreveu mais tarde naquele dia, quando um homem e uma mulher entraram no quarto, e um se apresentou como "o seu advogado de defesa."

Seis meses depois de sua prisão, aos 45 anos aparentemente tinha um advogado. Mas o progresso de Mossa no caso que veio a simbolizar a forma como o governo de Karzai lida com os conflitos sobre a liberdade religiosa permaneceu parado.

Tanto ele quanto o advogado de defesa tiveram novamente negado o acesso ao seu arquivo daquele dia, e o juiz provincial recusou-se a expor as acusações formais, dizendo então, que o arquivo continha "um erro" e era ele estava "rejeitando-o" e iria encaminhá-lo ao procurador-geral do Afeganistão.

Mossa não é o único cristão detido sem acusações formais. Shoib Assadullah foi preso em 21 de outubro, em Mazar-e-Sharif de acordo com a International Christian Concern, depois de ter dado um Novo Testamento a um homem que depois o denunciou às autoridades locais. Ele está atualmente em uma prisão de exploração no norte do Afeganistão.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE