Itália legisla contra perseguição cristã no mundo

A Câmara baixa do Parlamento italiano adotou, na quarta-feira, dia 12 de janeiro, uma resolução que censura a perseguição aos cristãos em alguns países.

O documento, aprovado na Câmara dos Deputados de forma unânime com 504 votos a favor e nove abstenções, exorta o primeiro ministro Silvio Berlusconi a “aplicar medidas políticas e econômicas para proteger a liberdade religiosa,” no primeiro mandato, a dos cristãos e outras minorias que são expostas à perseguições em alguns países.

Anotonio Mazzocchi, um dos promotores da moção, disse que “o fato de que o Parlamento votou de forma unânime em uma moção contra a intolerância religiosa é um forte sinal (...) de que a Itália não pensa em ficar calada.”

Queremos defender não somente uma cultura milenária que tem protagonizado nossa história e continua sendo guia ética para o Ocidente, mas também uma liberdade mais ampla e importante, a de crer, expressar e viver em um mundo em que a tolerância seja um valor fora de discussão,” disse, de acordo com a imprensa italiana.

Também em ações similares, o presidente da França, Nicolas Sarkozy condenou há uns dias o que se qualificou como “plano particularmente perverso de depuração religiosa no Oriente Médio” e enfatizou que tanto “no Iraque com no Egito, os cristãos do Oriente estão em sua casa.” O mandatário francês se refere aos recentes atentados contra uma Igreja copta em Alexandria e contra casas de cristãos em Bagdá.

Com o aumento da perseguição no Egito, Iraque e Nigéria, o Papa Bento XVI fez um pedido, nesta segunda-feira, exigindo que os governos do mundo adotem medidas para proteger as minorias religiosas.