Sul do Sudão votou esmagadoramente pela independência

Cerca de 99% dos eleitores no referendo de janeiro foram a favor da divisão do maior país da África. Até julho, a mais jovem nação do mundo será criada e a África ganhará seu 54º estado.
 
Na segunda-feira, dia 7 de fevereiro, o presidente Al-Bashir emitiu um Decreto Republicano aceitando o resultado final do referendo, que apoia a separação do Sul, após a promulgação oficial dos resultados, em Cartum.
 
O resultado final foi apresentado formalmente ao presidente do Norte do Sudão, Omer Hassan Al-Bashir, pelo presidente da Comissão do Referendo do Sul do Sudão (SSRC, sigla em inglês), Mohamed Ibrahim Khalil, que disse que um total de 98,83% dos eleitores optou pela independência na semana do referendo.
 
"Declaramos nossa aceitação quanto à escolha do povo do Sul do Sudão e nos comprometemos a trabalhar para resolver as questões pendentes e estabelecer relações construtivas entre o norte e o sul do Sudão", informou um decreto lido pelo ministro dos assuntos presidenciais, Bakri Hassan Salih.
 
Khalil também disse que nenhuma contestação legal foi interposta contra o resultado e que o referendo foi realizado de forma "justa e transparente", segundo o jornal The Sudan Tribune.
 
Após a recepção dos resultados no Palácio Presidencial de Cartum, o presidente Al-Bashir disse que saúda a escolha dos sudaneses do sul.

O anúncio foi rápido para receber aceitação e gerar compromissos de reconhecimento de um número de países e organizações internacionais.
 
O presidente dos Estados Unidos Barack Obama disse que se sentia honrado de anunciar a intenção dos Estados Unidos em reconhecer formalmente o Sul do Sudão como um estado soberano e independente em julho de 2011.

Em Londres, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, congratulou-se com os resultados do referendo e a reação positiva do governo de Cartum. Ele também prometeu que o Reino Unido continuará a apoiar a resolução das questões remanescentes.

O representante da União Europeia (UE) no Sudão, Carlo de Filippi, disse: "A UE aguarda com expectativa o desenvolvimento de uma estreita parceria e de longo prazo com o Sul do Sudão".
 
O Painel do Secretário Geral das Nações Unidas sobre o Referendo no Sudão, que foi criado a pedido dos sócios do CPA no sentido de acompanhar o referendo, deu processo de seu selo de aprovação.

Depois de décadas de guerra civil, a votação do Sul do Sudão pela independência é o último grande marco do acordo de paz de 2005.

Pedidos de oração

1. Ore pelo processo de construção do novo país.
2. Ore para que haja logo um acordo de paz entre o Norte e o Sul do Sudão baseado no pós-referendo, incluindo Abyei.
3. Ore por uma resolução das questões pendentes e para que os dois governos, Norte e Sul, tenham relações construtivas.
4. Ore pela igreja no norte do Sudão, já que terão de enfrentar novos desafios nos próximos dias.