Prisioneiro cristão relata que tem sofrido maus tratos

O caso de Shoaib Assadulah tem sido acompanhado pela Portas Abertas e, apesar da pressão internacional no último mês para sua libertação, não houve mudanças. O afegão convertido ao cristianismo continua preso sob a acusação de apostasia – crime passível de morte no Afeganistão.

Em uma emocionante carta, Assadullah confirmou as dificuldades que tem enfrentado e pede orações.

"Não só a minha liberdade foi tirada de mim, mas tenho passado por uma pressão psicológica grave fui atacado fisicamente e ameaçado de morte diversas vezes por colegas de cela, principalmente os do Talibã e os antigovernistas.”

Ele ainda descreve e lamenta o falecimento de sua mãe, “que viu seu querido filho ser preso com a ameaça da pena de morte sobre ele.” Impedido de ir ao funeral, Assadulah se angustia por não ter “prestado a homenagem a ela.”

Constituição & ONU

O Afeganistão assinou a Declaração Universal dos Direitos do Homem que estipula a liberdade religiosa, incluindo a liberdade de mudar de fé.

A Constituição afegã prevê igualmente uma medida de liberdade religiosa nos termos do artigo 2º, artigo 3º, mas limita a aplicação de todas as leis se forem contrários à "crenças e as disposições da religião sagrada do islamismo".

Pedidos de oração