Julgamento de cristãos acusados de blasfêmia é adiado

O julgamento de cinco cristãos, membros da Igreja do Irã foi adiado por falta de evidências no caso. A audiência do pastor Behrouz Sadegh-Khandjani, Mehdi Furutan, Mohammad Beliad, Parviz Khalaj e Nazly Beliad foi adiado para dia 12 de abril, para dar mais tempo para a acusação, para que consiga mais provas. Os advogados que representam os cinco cristãos continuam defendendo que não há base legal para fundamentar as acusações de blasfêmia, e estão otimistas que o caso seja arquivado.

Em uma audiência anterior, no Tribunal Revolucionário em Shiraz, os cinco homens receberam uma sentença de um ano de prisão por “cometer crimes contra a Ordem Islâmica”, mas a equipe de advogados acredita que essa acusação também será retirada.

O diretor nacional da organização Christian Solidarity Worldwide afirmou: “a CSW pede que o governo iraniano assegure que esses homens recebam um julgamento justo e sejam inocentados de todas as acusações que não têm base legal na lei”.

Ainda há uma grande preocupação com o pastor Youcef Nadarkhani, que aguarda o resultado da apelação de sua sentença de morte por apostasia (saiba mais).