Cristão paquistanês falsamente acusado de blasfêmia é detido

| 15/04/2011 - 00:00


A polícia da província de Punjab, no Paquistão, deteve ilegalmente um cristão acusado de “blasfêmia”, mesmo depois de um policial ter dito que os muçulmanos haviam acusado o cristão Arif Masih por causa de disputas de terra.

No dia 5 de abril, Shahid Yousuf Bajwa, vizinho de Masih, registrou um boletim de ocorrência contra uma pessoa “não identificada” por ter profanado o Alcorão. Shahid encontrou cartas ameaçadoras com trechos do Alcorão perto de sua casa.

“Alguém profanou o Alcorão e tentou ferir os sentimentos dos muçulmanos”, declarou Shahid no BO. Deixando claro que não sabia quem havia feito aquilo, ele escreveu: “em minha submissão às autoridades, peço que os culpados recebam uma punição justa”.

Shahid declarou que quando saiu de sua casa e encontrou as páginas no chão, olhou com a luz de seu celular e pensou que eram páginas do Alcorão. O tio de Masih, Amjad Chaudhry, disse que as páginas pareciam ser de um livro escolar que continham versos do Alcorão.

Chaudry afirma que Shahid e seus irmãos são policiais. Depois que Shahid encontrou as páginas e as cartas com ameaças, ele conseguiu que o fato fosse anunciado no alto-falante da mesquita.

“A mensagem pedia que todos os muçulmanos do vilarejo se reunissem devido à urgência do acontecimento”.

No início, os muçulmanos ficaram muito bravos e sugeriram que as casas dos cristãos fossem queimadas, mas que outros diziam que os cristãos deveriam ter uma chance para explicar se eram responsáveis ou não.

“Então, alguns muçulmanos começaram a dizer que porque Arif Masih morava naquela rua, ele deveria ser o culpado pelo crime. No entanto, a maior parte das pessoas reunidas ali disse que conheciam Masih muito bem e que ele não faria uma coisa daquelas. Mas outros insistiam que como ele era o único cristão da rua, só ele era suspeito do crime.”

Na noite de 5 de abril, o irmão de Shahid convocou Masih para a delegacia e o prendeu. Os familiares do cristão não sabiam de nada.

Quando foram revistar a casa de Masih, não encontraram nada: “Eles procuraram alguma prova, mas graças a Deus não encontraram nada que pudesse estar ligado ao incidente”.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE