Extremistas Muçulmanos incendeiam Igreja e casas na Nigéria

No final do mês de abril, os cristãos da Igreja Evangélica Vencedores (ECWA) da cidade de Plateau, no centro da Nigéria, foram deslocados após extremistas muçulmanos atearem fogo na igreja e em suas casas.

O Reverendo Ishaku Danyok, pastor da igreja, contou que o incidente do dia 29 aconteceu após muçulmanos abordarem Gabriel Kiwase, o dono de uma loja de musica cristã e lhe disseram que a musica atrapalhava o momento de oração deles.

“O jovem cristão então desligou a musica, e os muçulmanos partiram, porém retornaram 20 minutos depois para queimar a loja, o que deu início a um tumulto que ocasionou na queima de casas de cristãos locais”, disse Danyok.

Segundo o relato do Reverendo, a igreja de 85 membros foi danificada, além da casa do pastor e da propriedade de outros cinco cristãos uma hora após os ataques. “Nós contratamos gestores estaduais para trabalhar na reconstrução por um baixo custo e fomos informados que as perdas giram em torno de 184,520 mil dólares”, conclui.

A família de Danyok, sua esposa e seus quatro filhos ficaram desabrigados, mas ele louva a Deus porque ninguém sofreu agressões. “Nós estamos agora morando com outra família, já que perdemos tudo no fogo”, disse.

Outros cristãos que perderam suas propriedades são membros de sua igreja, uma paróquia e da Escola Bíblica Vida na cidade de Dengi. Como resultado da destruição, outros membros de sua igreja fugiram da cidade, reduzindo a presença nos cultos em 50%.

“No momento cultuamos a Deus nas ruínas da igreja com um telhado improvisado para nos proteger do sol e das chuvas”, contou o reverendo.

A cidade

A cidade de Dengi é predominantemente muçulmana e tem uma população cristã que representa cerca de 10% de sua população.

“Nesta cidade vivemos sob regras muçulmanas”, disse Danyok e acrescentou que apenas um dos 20 membros do conselho da cidade é cristão.

Segundo lideres cristãos da cidade, sob os auspícios da Associação Cristã da Nigéria, o ataque aos cristãos foi premeditado e bem planejado. “O desentendimento com o dono da loja de musica cristã foi apenas um pretexto usado para justificar os ataques contra nós”, disse Danyok.

Ataques a cristãos na cidade remetem à 2001 quando o único cristão que se tornou presidente do consulado, Nimfel foi assassinado após um surto de violência entre cristãos e muçulmanos na cidade de Plateau.

Em 2003 outros dois cristãos, inclusive uma identificada apenas como Habila, foram assassinados.

Danyok disse que acredita que Deus tem permitido os ataques contra os cristãos na cidade por um propósito maior que glorificará seu nome.

“Nós cremos que através dessas dificuldades Deus quer nos fortalecer”, disse ele.