Em meio à repressão, militar mata quatro mulheres cristãs

Tropas do Laos, com a ajuda dos vietnamitas, assassinaram quatro mulheres cristãs diante de suas famílias, em uma aparente repressão contra manifestantes, no Laos.

O exército, formado por soldados e policiais secretos vindos do Vietnã, apreendeu bíblias de moradores da província de Xiengkhouang. Os soldados, em seguida, atiraram e mataram quatro mulheres, depois de terem abusado repetidamente de duas delas.

Os maridos e filhos das mulheres mortas apanharam dos soldados, foram amarrados e forçados a presenciar o assassinato dessas mulheres. Não há notícias sobre onde estão os sobreviventes agora.

Não se sabe ao certo se os hmongs, tribo à qual pertenciam as mulheres mortas, são perseguidos por sua etnia ou por sua religião. O regime comunista no Laos é particularmente repressivo com minorias étnicas como os hmongs, o que também encoraja o budismo a impor um senso de união e identidade nacional. Por essa razão o alvo principal, tanto por parte do governo quanto dos budistas, são os cristãos hmongs.

Cristãos protestantes em geral e a comunidade cristã hmong são particularmente vistos pelo governo e seus setores como sendo favoráveis ao Ocidente e, por isso, representaria uma ameaça às regras do comunismo.