Al-Qaeda é suspeita de matar ministro cristão

| 08/07/2011 - 00:00


A investigação sobre o assassinato de um ministro do governo paquistanês que criticava a rígida lei islâmica da blasfêmia está no “caminho certo”, segundo informações do irmão da vítima.

Shahbaz Bhatti, assassinado em março, era ministro para assuntos das minorias do Paquistão e fez campanha em favor dos direitos dos cristãos, mas foi morto a tiros em Islamabad – aparentemente por extremistas islâmicos.

“As investigações sobre o homicídio do meu irmão estão, finalmente, no caminho certo”, disse Paul Bhatti, atual assessor de governo no Paquistão para assuntos das minorias religiosas, à agência de notícias católica Fides.

“Ele foi vítima de fanáticos talibãs e islâmicos. Agora, estamos esperando para capturar os criminosos, que estão em Dubai”, disse ele. Paul ainda disse que investigadores determinaram que foi a Al-Qaeda, liderada pelo talibã paquistanês Ilyas Kashmiri. “Estávamos convencidos de que ele tinha sido assassinado por seu trabalho, por defender os direitos humanos e os direitos dos cristãos. A investigação apenas confirmou isso”, acrescentou o irmão da vítima.

Bhatti foi baleado ao sair da casa de sua mãe, em uma área residencial em Islamabad. A polícia disse que os agressores dispararam, pelo menos, vinte e cinco balas em seu veículo.

Uma carta foi encontrada na cena do crime, supostamente de adeptos da Al-Qaeda e dos talibãs paquistaneses, reivindicando a responsabilidade pelo assassinato.

Dois meses antes de Bhatti ser morto, o governador da província de Punjab, Salma Taseer, foi assassinado a tiros por um de seus guarda-costas, que citou a oposição do político à lei da blasfêmia como justificativa para o assassinato.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE